O que é Kefir de Leite ?

Qual as Diferenças entre Kefir de Leite e Kefir de Água ?

Qual as Diferenças Entre o Kefir de Leite e Kefir de Água

Veja aqui as Diferenças entre Kefir de Leite e Kefir de Água ?

Existem várias diferenças entre o Kefir de Água e o Kefir de Leite, seria ideal ter as duas culturas em casa e ver com qual você se adapta melhor, porem, tanto uma como a outra oferecem uma bebida saudável e refrescante.

Existem várias diferenças, a começar pelo cultivo:

O Kefir de Água ou Tibico como também é chamado fermenta na água com açúcar mascavo, podendo também ser cultivado em chás e sucos naturais, Os grãos do Kefir de água são massas mucilaginosas transparentes e pequenas, que consistem em polissacarídeos (dextrans) com cadeias compostas apenas de glicose. Em um nível físico, os grãos de Kefir de água tradicionais são mais densos do que os grãos de Kefir de leite tradicionais do Cáucaso, pois estes têm uma propriedade elástica que falta àqueles. Os anteriores são completamente delicados, tendo uma tendência a lascar-se ou cortar facilmente com qualquer aresta. Estes grânulos, saltam quando deixados cair em uma superfície sólida, o que não acontece com os grãos de Kefir de leite. Os grãos de Kefir de água crescem diariamente em torno de 30% do seu volume, totalmente ao contrário ao Kefir de leite que demora um mês ou mais para dobrar de volume.

O Kefir de leite, cultivado em qualquer tipo de leite, é excelente para regular o intestino (a priori), com muitos outros beneficios, sendo seu uso na culinária eficientíssimo.

Beneficios mais conhecidos do Kefir de Leite:
Regula o sistema imunológico, aumentando a resistência a doenças. Tem uma influência positiva no coração, sangue e sistema circulatório; cura problemas nos rins, no tracto urinário e protege a próstata; tem uma influência positiva no colesterol, osteoporose e reumatismo; suporta a produção de enzimas e recupera o pâncreas; melhora o funcionamento do fígado, baço, regulariza a produção da bílis, influenciando positivamente na ocorrência da hepatite; cura colite, diarréia, catarro; cura a candidíase; reequilibra a flora intestinal e os ácidos do estômago, cura o duodeno e úlceras; produz seu próprio antibiótico, eliminando bactérias nocivas; cura inflamações internas e externas; é totalmente favorável à quem não tolera a lactose, devido a eliminá-la em seu processo fermentativo; produtos elaborados à base de Kefir de leite não causam reação negativa ao intolerante à lactose; produz componentes anticancerígenos, prevenindo a metástase e favorecendo a cura. Reduz a ansiedade, a depressão, aumentando a energia e a sensação de bem-estar; produz todas as vitaminas necessárias e bactérias benéficas à saúde diária. Quase um século de estudo científico e médico confirmam a lista acima disponível pelo Diário de Pesquisas do Instituto da antiga URSS. Com o aumento do custo mundial dos cuidados médicos por doenças crônicas, o Kefir real está não só ganhando a popularidade pelos seus benefícios à saúde,mas também pelo seu baixo custo médico. Com a crescente resistência aos antibióticos, pesquisas intensivas sobre Kefir real estão sendo conduzidas na Europa e Japão.

Benefícios mais conhecidos do Kefir de Água:
Com potencial depurativo mais elevado, promove de imediato a eliminação de toxinas em todo o organismo. Seu uso cosmético é eficientíssimo. Algumas receitas incluem a adição de frutas secas tais como o figo, o damasco ou passas, que realçam o sabor e aumentam os nutrientes. Regula o sistema imunológico e aumenta a resistência a doenças; Regula a tensão arterial, o açúcar no sangue e cura a diabetes; Cura bronquites, tuberculoses, asma, alergias e enxaquecas. Cura vários tipos de eczema e desordens de pele, como a psoríase e a acne, Regulariza o metabolismo, a digestão e ajuda no funcionamento do cólon; alivia a candidíase, podendo chegar à cura. Assim como o Kefir de leite, reduz a ansiedade, a depressão, aumentando a energia e a sensação de bem-estar; Retarda o processo de envelhecimento, auxilia decisivamente a vitalidade da pele, cabelo e músculos; enzimático em potencial, acelera o metabolismo e é de extrema eficiência na manutenção do peso ideal.

Qual as Diferenças Entre o Kefir de Leite e Kefir de Água
Qual as Diferenças Entre o Kefir de Leite e Kefir de Água

Kefir Emagrece ou Engorda? Beneficios e Análise Completa.

Kefir Emagrece ou Engorda? Perder Peso com Kefir? A Verdade Sobre Emagrecer com Kefir.

Kefir e a Obesidade, confie no seu intestino.

O kefir é tradicionalmente uma bebida espumante de leite, entretanto também é possível encontrar e fazer água kefir.
Você pode preferir água kefir se você é intolerante a lactose ou vegano.
Ela também pode adicionar variedade à sua dieta. Mas será que o kefir emagrece mesmo ou a perda de peso está fora da sua lista de benefícios?

O que é kefir? Kefir é uma bebida espumante feita de leite e “grãos” de kefir, ou colônias de bactérias. Ele pode ser azedo, então o kefir geralmente é misturado com frutas, mel ou açúcar.

O kefir é similar ao iogurte, já que é feito ao adicionar uma bactéria ao leite. Entretanto, você também pode fazer kefir com leite de coco, leite de soja, leite de arroz e água.

A bactéria no kefir tem seus próprios benefícios, distintos dos do iogurte. Elas são melhores na colonização do seu trato digestivo e podem ajudar com a indigestão.

O kefir é um antioxidante, o que significa que ele pode ajudar a prevenir doenças cardíacas, câncer e sinais de envelhecimento ao proteger suas células de danos.

Estudos também descobriram que o kefir pode diminuir níveis de colesterol, o que pode ajudar a diminuir suas chances de doença cardíaca. Se o kefir é fermentado por muito tempo, ele pode conter álcool, mas se preparado adequadamente, ele deve conter menos de 0,1%. Se você pode encontrar grãos de kefir, você pode fazer seu próprio leite ou água kefir em casa. A Nutrição do Leite do Kefir é a forma tradicional de kefir, e é feito há centenas de anos.

Ele contém muitos dos benefícios do leite, incluindo muitas proteínas , cálcio e outros minerais. O kefir também é uma fonte rica em vitaminas B, incluindo ácido fólico.

O leite kefir geralmente tem pouca lactose, e se você tem intolerância a lactose você pode ser capaz de bebê-lo. Ele também contém fibras. ADVERTISEMENTO leite kefir contém um pouco de gordura saturada, então você não deve beber mais do que algumas porções por dia. Ele também pode irritar seu estômago se você não é acostumado a ele, então geralmente é recomendado que você comece com pequenas quantidades.

Ele contém um pouco de lactose, então se você é intolerante a lactose você também terá que beber em moderação, ou talvez ficar com a água. A Nutrição da Água do Kefir é feita de água, açúcar e grãos de kefir.

Ela contém bactérias diferentes das do leite kefir. A água kefir é mais versátil que o leite, e você pode adicionar limão e diferentes tipos de frutas ou vegetais à mistura.

Ela é uma alternativa nutritiva a bebidas como refrigerantes. Pelo fato da bactéria na água kefir quebrar o açúcar para produzir o gás da bebida, ela tem um IG relativamente baixo, o que quer dizer que provavelmente não elevará seus níveis de açúcar no sangue repentinamente.

Entretanto, os níveis de açúcar podem variar, então tome cuidado se você é diabético ou resistente a insulina. A água kefir também contém vitaminas B que podem ajudar a digestão.Os tipos diferentes de kefir têm benefícios e desvantagens diferentes. O leite kefir é uma excelente fonte de proteína e cálcio, mas contém gordura saturada e lactose. A água kefir pode ter mais açúcar, mas tem muitas das mesmas vitaminas e é mais versátil.

Cada tipo tem diferentes tipos de bactérias e eles são fáceis de fazer em casa, então, se você puder, pode experimentar ambos.Qual a diferença entre kefir e iogurte?Kefir e iogurte podem parecer iguais, mas o que os diferencia é a forma como eles são feitos. O kefir é feito de cultura de kefir, que pode ser feito em temperatura ambiente, tem levedura e bactérias, enquanto a cultura de iogurte tem apenas bactérias e precisa de uma certa temperatura.

O iogurte é feito misturando uma colher de iogurte pronto a leite fresco, enquanto o kefir é feito com os grãos que se multiplicam a
cada vez que você faz.O kefir tem o dobro da variedade de bactérias do iogurte e contém levedura, que não está presente no iogurte. Essa combinação de levedura e bactéria coloniza o trato intestinal, o que quer dizer que se você parar de beber kefir, essa combinação de levedura e bactéria continuará trabalhando dentro de você, ajudando com a digestão e mantendo bactérias prejudiciais longe.

O mesmo não pode ser dito do iogurte, porque uma vez que você para de comer iogurte, os benefícios param.Bom para pessoas com intolerância a lactoseMesmo que o kefir seja feito com leite, ele é 99,99% livre de lactose. A razão para isso é que as bactérias e a levedura se alimentam da lactose no leite e a transformam em açúcares simples e na enzima lactase, o que ajuda ainda mais o processo de digestão e á fácil de ser digerida por pessoas intolerantes a lactose.

Por que seu corpo precisa de probióticos? Nosso revestimento estomacal tem cerca de 400 espécies de bactérias probióticas. Essas bactérias são necessárias para a saúde digestiva e intestinal.
Sem essas bactérias boas nós seríamos alvo de muitas doenças que vão de úlcera a várias infecções. Probióticos são os alimentos funcionais modernos. Alimentos funcionais são aqueles que trazem benefícios à saúde. Esses alimentos são bons para o sistema imune já que eles afastam infecções e constroem imunidade.

Quais são os benefícios do kefir?
– O kefir tem bactérias boas que podem ser usadas como um suplemento probiótico.
– Ajuda pessoas que têm síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, permeabilidade intestinal, úlceras, gastrite e prisão de ventre ao melhorar a flora intestinal.
– É rico na enzima lactase, tornando fácil para pessoas com intolerância ou sensibilidade a lactose tomarem o kefir.
– Rico em vitamina B12, B1, biotina, K, ácido fólico, cálcio, magnésio, fósforo que ajudam a melhorar o sistema imune, alivia problemas de pele, como eczema e acne.
-Kefir enriquecido reduz o colesterol LDL porque ele contém os compostos fitoesterol e stanol, que bloqueiam a absorção de colesterol na corrente sanguínea, o que ajuda a prevenir doença cardíaca.
– Melhorar a flora intestinal com os probióticos no kefir também pode ajudar outras condições em crianças como transtorno de déficit de atenção, baixa imunidade e alergias. É especialmente útil para pessoas que estão tomando antibióticos.
– Tem um aminoácido chamado triptofano, cálcio e magnésio, que têm um efeito calmante no sistema nervoso, para pessoas com problemas para dormir, ansiedade e depressão.
-O cálcio no kefir é bom para pessoas com osteoporose, artrite e arteriosclerose.•Melhora o funcionamento dos rins e fígado.•Ele também tem propriedades antitumor e anti-carcinogênica .
-Ajuda a curar infecções fungais como cândida.
-E enfim, o kefir emagrece também. O probiótico no kefir acelera seu metabolismo, o que ajuda a queimar mais gordura e calorias. Para pessoas com o metabolismo lento, ele pode ser uma saída.

Como fazer kefir? Kefir pode ser feito em casa se você comprar os grãos pela internet ou numa “loja verde” local. Adicione uma colher de sopa de grãos a duas xícaras de leite. Deixe ficar em temperatura ambiente de 12 a 36 horas. Quanto mais tempo ele ficar, mais picante o sabor. Escorra com um pano de queijo e seu kefir está pronto. Os grãos podem ser usados novamente para fazer o kefir.Veja os benefícios que ele oferece e faça a escolha saudável, faça o kefir parte da sua dieta.Como a Bactéria no Seu Intestino Afeta Seu PesoNovas pesquisas indicam que fatores como bactérias e vírus têm um papel importante em como seu corpo metaboliza e armazena gordura.

Vamos analisar aqui por que pode-se pensar erroneamente que kefir engorda, explicando ao mesmo tempo porque ele tem as bactérias certas para a perda de peso. Bactéria e Obesidade Médicos e pesquisadores estão trabalhando duro para identificar razões biológicas de por que algumas pessoas ganham peso com mais facilidade que outras, mesmo quando comem alimentos similares.

A resposta pode estar no seu intestino!Seu intestino é cheio de bactérias boas (microflora) assim como bactérias ruins e patógenos. Trilhões desses organismos contribuem para o funcionamento correto do seu corpo, te ajudam a metabolizar alimentos e te protegem contra doenças.No mundo de hoje, as bactérias ruins estão fora de controle.

Dieta ruim, estresse, falta de sono, ou mesmo antibióticos e outros medicamentos podem criar um ambiente que encoraja o crescimento de bactérias ruins – te deixando suscetível a doenças, ganho de peso e obesidade. Um estudo recente mostrou que pessoas de peso normal têm mais bactérias Bacteroidetes no estômago e intestinos, enquanto pessoas obesas têm mais bactérias firmicutes. Os pesquisadores não sabem se as bactérias Firmicutes causam obesidade ou se a obesidade faz com que as Firmicutes cresçam, mas as implicações são grandes: mude a bactéria no seu intestino, mude seu corpo! Na verdade, os mesmos pesquisadores descobriram que o corpo de cada pessoa extrai quantidades diferentes de calorias dos mesmos alimentos, dependendo da combinação da sua microflora intestinal.Por exemplo, você e seu amigo podem comer o mesmo jantar, mas dependendo da sua flora intestinal, você pode extrair mais calorias da mesma refeição.Parece injusto, certo?

Bem, continue lendo – parece que vírus podem causar obesidade também…O Vírus da Gordura?Outra ligação biológica com a obesidade pode ser os vírus e patógenos que te deixam doente.

Uma nova pesquisa, chamada de infectobesidade, teoriza que certos vírus comuns podem te fazer engordar.
Os pesquisadores notaram esse fenômeno primeiro em animais. Eles descobriram que galinhas infectadas por um vírus eram obesas e a maior parte de sua gordura estava concentrada em volta do estômago! Médicos consideraram a hipótese de que humanos poderiam reagir a infecções virais da mesma forma – armazenando excesso de gordura. Para testar essa teoria, cientistas testaram humanos para a existência de anticorpos de um vírus comum. Seu corpo produz anticorpos em resposta a uma substância específica, como um vírus ou bactéria. Se anticorpos estão presentes, eles indicam que você foi infectada por esse vírus em algum momento, e os anticorpos nunca desaparecem.Médicos testaram um grupo de pessoas obesas e de peso normal. Os dados mostraram que 30% dos obesos tinham anticorpos para o vírus, enquanto apenas 11% das pessoas com peso normal tinham os anticorpos. Essa diferença significante indica que certas infecções virais podem contribuir diretamente para a obesidade!A Solução da obesidade, quer você esteja acima do peso ou não.

Essas descobertas são tranquilizadoras e assustadoras: isso pode esclarecer porque fazer dieta não resulta automaticamente em perda de peso, mas agora você pode ficar seriamente preocupado (e com razão) que uma infecção viral passada ou futura possa levar a ganho de peso incontrolável. Claramente, ter bactérias saudáveis no seu intestino é crucial, e é por isso que podemos dizer que beber kefir emagrece. Com ele, você ingere as bactérias certas para a sua flora intestinal e para o seu metabolismo.

Kefir Emagrece ou Engorda ?

Benefícios do Kefir de Leite com Leite de Coco

Kefir de Leite de Coco

Assista nesse Vídeo todos os Benefícios do Kefir de Leite feito com Leite de Coco.

Vídeo do Dr. Lair Ribeiro Sobre os Probiótios do Kefir de Leite.

Muitas pessoas nos perguntam:

Com qual Kefir devo fazer o Kefir com Leite de Coco ?
Kefir de Leite ou Kefir de Água ?

– O Kefir de Leite de Coco deve ser feito com o Kefir de Água.

Mas Porque com Kefir de Água ?

– O Kefir de Leite se alimenta exclusivamente de lactose e a lactose só está presente no leite animal.
– O Kefir de Água se alimenta de frutose e açúcares, o leite de coco não tem lactose mas tem frutose que é o alimento do Kefir de Água, então é por isso que devemos utilizar o Kefir de Água para fazer o Kefir de Leite de Coco.

Então se você quer fazer o Kefir com Leite de Coco na sua casa adquira o Kefir de Água nesse nosso outro site:

Tibicos.com.br

Kefir Probióticos e a Depressão: Como as bactérias do Bem podem ajudar ?

Kefir Probióticos e a Depressão

Kefir Probióticos e a Depressão: Como as bactérias podem ajudar ?

As bactérias do Kefir probiótico podem ajudar a tratar e muito a depressão.

O intestino já é considerado como um segundo cérebro pelos pesquisadores, essa matéria é de 2011, e
já havia muitas pesquisas relacionando depressão e as bactérias probióticas do Kefir.

Bactérias no intestino podem influenciar diretamente os cérebros de ratos e, talvez, nos seres humanos, dizem os cientistas.
Esta descoberta pode levar a novas maneiras de controlar a depressão, ansiedade e outros distúrbios. E enquanto ratinhos servem como bons modelos para compreender os aspectos do cérebro humano, os resultados precisam de ser replicado em seres humanos.
Os cientistas detalharam suas descobertas online 29 de agosto na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências.

Kefir Probiótico e estresse.
Os pesquisadores têm cada vez mais começaram a suspeitar que o intestino estava de alguma forma ligado ao cérebro. Por exemplo, distúrbios intestinais parecem ligados ao estresse relacionados com transtornos psiquiátricos , como ansiedade e depressão em pessoas.
Para saber mais, os cientistas experimentaram com ratos, alimentando-lhes um caldo contendo Lactobacillus rhamnosus JB-1.
Esta espécie vive naturalmente em nosso intestino, e os cientistas estão explorando se cepas de ela pode ser usada como “probióticos” do Kefir para melhorar a nossa saúde.
Eles descobriram que esses roedores exibido significativamente menos comportamentos ligados ao estresse, ansiedade e depressão do que os ratos alimentados com caldo simples.
Bactérias alimentadas com camundongos também tiveram níveis significativamente mais baixos do hormônio corticosterona estresse em resposta a situações estressantes como labirintos.
“Ao afetar as bactérias do intestino , pode ter efeitos de amplo espectro muito robustas e bastante sobre a química do cérebro e do comportamento “, o pesquisador John Cryan, neurocientista da University College Cork, na Irlanda, disse ao LiveScience.
“Sem exagerar as coisas, isso não abrir o conceito de que poderíamos desenvolver terapias que podem tratar transtornos psiquiátricos visando o intestino”, Cryan acrescentou. “Você poderia tomar um Kefir de Leite ou Kefir de Água  com um probiótico nele ao invés de um antidepressivo. ”
“Agora, isso não seria um iogurte todos os dias – eu não estou dizendo que você deve ir até o supermercado e tentar fazer isso”, ele advertiu.”O efeito depende da estirpe de probiótico usar.  A esperança seria, no entanto, que este pode ter menos efeitos secundários do que as drogas”.

O nervo vago
Para descobrir o link probiótico-stress, os pesquisadores sondou os cérebros dos ratos alimentados bactérias, moléculas chamadas receptores que investigam as células cerebrais usam para receber sinais.

Em particular, concentraram-se sobre os receptores para o ácido gama-aminobutírico ou GABA. Este neurotransmissor, o alvo do Valium fármaco anti-ansiedade, é o principal produto químico utilizado para inibir a actividade no sistema nervoso central e regula diversos processos fisiológicos e psicológicos.
Os investigadores descobriram que um componente do receptor de GABA estava presente em níveis mais elevados em bactérias ratos alimentados em partes do cérebro, onde é normalmente reduzido durante a depressão.
Além disso, os diversos componentes dos receptores GABA foram reduzidos em partes do cérebro, onde são normalmente aumentada em estressadas ou ansioso animais.
Em seguida, os investigadores cortada do nervo vago, o qual ajuda a alertar o sistema nervoso central para as alterações no tracto gastrointestinal.

Eles descobriram que os efeitos induzidos por bactérias sobre o comportamento e os receptores GABA foram diminuídas, o que sugere esse nervo é o caminho pelo qual as alterações no intestino podem influenciar o cérebro.
Estimulação do nervo vago têm sido usados às vezes para tratar a depressão resistente a outras terapias, mas “isso é uma técnica cirúrgica”, disse Cryan.

“Ao inserir probióticos do Kefir de Leite ou Kefir de Água no intestino, podemos indiretamente atingir o nervo vago, sem cirurgia. ”
Novos estudos também podem destrinchar se o intestino pode afetar outras substâncias químicas do cérebro, como a serotonina e dopamina, que têm sido relacionados com o humor, entre outros factores. “Além disso, encontramos isso em camundongos – este é um longo caminho a partir de aplicações clínicas nas pessoas”, disse Cryan.

Kefir Probióticos e a Depressão
Kefir Probióticos e a Depressão

Quando Viajar Congele o Seu Kefir – Como Congelar e Descongelar ?

Como Congelar o Kefir

Como Congelar / Descongelar os Grãos de Kefir de Leite ou Kefir de Água para Reserva Pausa na Cultura ou Viagem ?

Os grãos de Kefir não morrem se congelados. Isso pode ser útil para realizar um “estoque de segurança”, se acaso sua colônia venha a sofrer algum acidente ou se você quiser dar uma pausa na sua cultura ou se for viajar. O congelamento também é muito útil caso você tenha uma quantidade muito grande de grãos. Não é necessário lavar os grãos antes do congelamento, basta coá-los e levá-los para congelar. É aconselhado congelar o Kefir em pequenas porções, pois assim não será necessário “quebrar” um bloco grande já congelado caso necessite de apenas um pouco.

Como congelar o Kefir:
– Armazenar uma porção dos grãos em saquinhos plásticos individuais, adicionar um pouco de leite e fechar a boca do saquinho dando um nó. Os de água são armazenados são armazenados somente os grãos sem água e açúcar.

Descongelando o Kefir:
Para descongelar, basta colocar os grãos ainda congelados no leite / água com açúcar mascavo sem ferro (2-3 colheres de açúcar para 1 litro de água filtrada e sem cloro) em temperatura ambiente ou mesmo gelado, e aguardar o período de fermentação fora da geladeira. Descarte a primeira produção de 24 horas. Se a segunda produção de 24 horas estiver muito ácida, descarte novamente e passe a utilizar a partir da terceira.
Importante: Não descongele os grãos no micro-ondas ou em líquidos quentes! Temperaturas acima de 40o/50ºC podem matar o Kefir.

Lavar o frasco se for de vidro em água filtrada e fervente, aguardar esfriar e colocar o kefir juntamente com a água com o açúcar e deixar fermentar por 24 horas. Coe numa peneira limpa de plástico ou inox, e descarte esta 1a. Solução e repita o procedimento., prepare a água com o açúcar mascavo e deixe fermentar por 24 horas. Se após este tempo a água estiver mt ácida, descartar e repetir o procedimento.

Usar somente colher de plástico ou inox, os demais metais podem matar os grãos. Colher de pau pode conter microrganismos em sua porosidade e contaminar os grãos.

Boa Viagem!

Como Congelar o Kefir
Como Congelar o Kefir
Como Congelar o Kefir
Como Congelar o Kefir

Adaptando Grãos de Kefir de Leite para a Água

Adaptando Kefir de Leite para KEfir de Agua

Adaptando Grãos de Kefir de Leite para a Água.

A adaptação completa costuma ocorrer ao final de três dias, podendo levar mais ou menos tempo, de acordo com algumas variantes como a qualidade do açúcar e da água usados ou a temperatura ambiente média.

Ingredientes e utensílios: Uma porção de grãos de kefir de leite Uma porção de açúcar mascavo Cinco porções de água sem cloro ou mineral. Para retirar o cloro da água da torneira, ferva-a ou bata no liquidificador por uns 2 minutos (aumentar este tempo se for retirar o clorar de mais de meio litro de água). Em ambos os casos, deve-se aguardar que a água atinja novamente a temperatura ambiente, pois o calor é prejudicial aos grãos. Frasco de vidro ou plástico para a fermentação, com capacidade para oito porções ou mais Tampa para o frasco. Pode ser hermética ou frouxa (um paninho com elástico, por exemplo)

Modo de Fazer:
1. Lave os grãos com duas porções de água sem cloro ou mineral
2. Misture o açúcar mascavo com o restante da água e coloque no frasco para fermentação
3. Acrescente os grãos de kefir de leite
4. Tampe o frasco. Quanto mais hermética, mais frisante fica o kefir
5. Deixe para fermentar à temperatura ambiente por 12 horas
6. Coe

Se o kefir coado tiver o sabor de cerveja choca e não se perceber mais o sabor do açúcar mascavo, está pronto. Caso contrário, descarte e reinicie o processo a partir do segundo passo.

Adaptando Kefir de Leite para KEfir de Agua
Adaptando Kefir de Leite para Kefir de Agua

Benefícios do Kefir

Beneficios do Kefir

O KEFIR é um complemento e enriquecedor alimentar probiótico, com valores e empregos terapêuticos de relevante abrangência…

O KEFIR é um complemento e enriquecedor alimentar probiótico, com valores e empregos terapêuticos de relevante abrangência que vão além do mero uso na alimentação básica. Consiste em um conjunto de microorganismos vivos que condicionam uma cadeia de simbiose ente si e as células do organismo humano.

São amigos da vida humana e grande aliados no combate de um número amplo de enfermidades e disfunções. E um iogurte poderoso e muito benefico a nossa saude. Possuem a aparência de “grãos” que variam de tamanho, aproximadamente 3 a 7 milímetros e de textura plástica, opaca, ligeiramente transparente que pode ser de coloração branca ou amarelada. Não se trata de algo desenvolvido por pesquisas de laboratório, foi por séculos um segredo étnico. Estudado por pesquisadores ocidentais no decorrer do século XX, vem se popularizando mundialmente desde 1999 com maior intensidade.

E há uma forte tendência para que ocupe papel de destaque no século XXI. Atribui-se ao uso diário do kefir a famosa longevidade e saúde dos habitantes das montanhas russas do Cáucaso que são os únicos a alcançarem a idade de até 120 anos gozando de total saúde. Trata-se de uma cultura de fácil utilização caseira, sua exploração industrial, não tem sido possível até o presente momento e as tentativas comerciais que se encontram no mercado e presentes em apenas alguns poucos países, colocam em circulação um similar com propriedades reduzidas e incompletas.

É possível a sua exploração artesanal. Na Rússia 70% dos laticínios são a base de culturas de kefir. É conhecido também como um elemento da ecologia corpórea por promover um eco sistema orgânico dentro do corpo com total equilíbrio. Seu emprego diário alimentar e terapêutico varia em quantidade de acordo com a finalidade e especificação. Não possui efeitos colaterais nem desenvolve intolerância, pode ser consumido em veículo líquido, água, sucos, leite de vaca, cabra, búfala, ovelha, leite de coco, de soja, queijos e receitas culinárias. Há vinagres balsâmicos e comuns desenvolvidos a partir da cultura do kefir.

Crianças com intolerância ao leite comum podem assimilar o kefir lácteo e por ser algo caseiro é inúmeras vezes mais barato do que as alternativas à venda. É chamado de matriz os grãos que formam o produto a ser consumido, o resultado da inoculação por grãos de kefir pode ser chamado de cultura mãe, também serve para obter a inoculação de leite e sucos, há uma diferença grande entre os grãos de kefir e a fermentação derivada de seu produto. Esta última não é capaz de produzir a chamada isca para um novo kefir ou produto. Kefir é uma realidade comunitária biologia em defesa da vida e da saúde, uma união agregativa e não desagregativa de forças do bem em nossas vidas, uma atitude yogui por excelência é a sua disseminação, a palavra yoga significa união, com tal conotação. MODO DE PREPARO DO KEFIR: Kefir pode ser preparado com água ou leite. Para o uso de apoio em terapias emprega-se uma quantidade maior do que como complemento na alimentação básica e para tal a água é mais indicado. EM ÁGUA: Adicione de 2 a 4 colheres de sopa com grãos de kefir em um litro de água mineral.

Coloque 3 colheres de sopa de açúcar mascavo, rapadura moída ou melado de cana de boa qualidade. Mantenha uma boa higiene no preparo. O recipiente pode ser de vidro, inox, ou plástico de boa qualidade. Tampe o recipiente para evitar a presença de impurezas, ciscos, poeira e insetos, mas deixe uma saída de ar, pois na fermentação haverá a expansão de gás carbônico e se for hermeticamente fechado poderá explodir, cubra com pano ou tuia e prenda-o com um elástico. Deixe em temperatura ambiente durante 10 a 40 horas, lembre que os dias mais quentes aceleram a cultura e os dias frios retardam. O kefir se desenvolve bem na temperatura ambiente de 20 a 30 graus centígrados. Dependendo da finalidade ou gosto o tempo de fermentação da cultura varia. Coe e armazene em recipiente igual ao anterior. Nunca utilize alumínio ou ferro em nenhuma das etapas. Os grãos se multiplicam com rapidez e devem ser reaproveitados para uma nova cultura e utilizados para a importante disseminação comunitária, lembre-se de sua preciosidade.

Os grãos possuem valor individual, familiar e coletivo, são bons para nos ajudar individualmente e coletivamente. NO LEITE: O procedimento é igual ao da água, com a diferença de que o leite deve ser morno ao iniciar a cultura. Leite pasteurizado pode ser empregado. É aconselhável que se tenha sempre em mãos uma cultura na água também, pois o leite é um produto que vem sendo adulterado com substâncias químicas desde a alimentação da vaca até o seu acondicionamento e com o tempo a cultura de kefir pode sofrer alterações. Não há necessidade de se adicionar açúcar mascavo ou equivalente ao leite, ele já tem o seu açúcar próprio que conhecido pelo nome de lactose. A lactose é consumida e transformada pela cultura e torna o leite enriquecido e assimilável por aqueles que possuem intolerância à lactose, adultos e crianças até da mais tenra idade, como bebes, por exemplo. O sabor é muito palatável.

MODO DE USO DO KEFIR: Tem uso interno e externo. O uso externo é indicado para problemas cutâneos como acne com incrível eficácia e para a manutenção e regeneração da pele. No uso contínuo e diário, com 300ml a 500ml (meio litro) já se consegue bons resultados e benefícios. Para a maioria dos empregos terapêuticos aconselha-se a ingestão de kefir feito com água na quantidade aproximada de um litro por dia e dois litros em casos graves de anemia e para uma intensa desintoxicação orgânica. É recomendada a ingestão diurna do kefir, após o por do Sol a interação química com o corpo não é das melhores e deve ser evitada. Não comemos os grãos de kefir, mas sim ingerimos a parte líquida de fermentação da cultura. Pode ser refrigerado, misturado na base de 50% nos sucos de frutas. Kefir com mel e guaraná em pó é um tônico geral maravilhoso.

Os produtos lácteos do kefir podem ser adicionados a frutas, utilizados em receitas variadas, mas sempre consumido cru. O uso de chás medicinais para a fermentação desta cultura traz bons resultados. O conhecimento do uso e modo de consumo do kefir é ainda uma página nova na aventura da vida humana e espero que a sua pessoa venha dar suas contribuições em editá-la. O kefir de 12 horas de fermentação produz efeito laxativo no intestino, o de 24 horas é um pouco laxativo (ideal para quem tem o intestino normal) e o de 40 horas de fermentação prende o intestino. ARMAZENAMENTO: Após coado, o líquido resultante da fermentação da cultura deve ser conservado em refrigeração, mesmo quando consumido na forma de queijos.

A duração de seus produtos vai até no máximo três dias, mesmo sob refrigeração. Os grãos, após lavados e secados devidamente à sombra em temperatura ambiente, podem ser mantidos refrigerados a 4°C ou liofilizados por congelamento. As formas comerciais de kefir contém apenas uma parcela de seus componentes e o mais conhecido é o kefiran. O armazenamento do kefir tem sido a maior barreira para a sua ampla comercialização. Até mesmo as matrizes vendidas por correio no exterior não são o verdadeiro kefir por serem apenas elementos parciais do kefir, assim como em yoga, a fonte de aquisição é um fator fundamental em sua eficiência e garantia. Os grãos verdadeiros são adquiridos de pessoa a pessoa, pessoalmente e com uma corrente de bons fluídos, da qual o kefir é apenas mais um componente.

BENEFÍCIOS DIETÉTICOS E TERAPÊUTICOS: O kefir é tido como um ótimo regulador do peso. A associação simultânea de kefir com jejum é um desastre, o kefir atua como um enzimático poderoso e acentua amplamente o anabolismo, ou seja, a assimilação de nutrientes, isto faz com que seja necessária a utilização de comida normalmente. Para os que gostam de jejuar o uso nos dias de jejum pode ser suspenso. Se alimentar só de kefir é uma atitude errada e contra indicada. Um grande restaurador da vitalidade e da disposição física, mental e emocional é o nosso amigo kefir. Se diz que o kefir é uma bênção para o nosso século porque é um auxiliar vital e importante contra diversos tipos de disfunções e moléstias que são típicas de nossos dias, por exemplo: Ajuda a combater os males contraídos por irradiações, exposições a monitores de vídeo, na desintoxicação de poluentes tóxicos, etc. Combate distúrbios nervosos, a ansiedade e a insônia, reduz o colesterol e regulariza a digestão, restaura rapidamente a micro flora intestinal, ótimo para quem se submeteu a longos tratamentos com antibióticos.

Na Rússia e na Alemanha o uso em hospitais psiquiátricos tem obtido nobre respeito. Promove uma absorção orgânica muito maior de sais minerais e vitaminas, principalmente a vitamina B12, ajudando nos problemas de desnutrição. Auxilia a absorção de proteínas. Tem sido usado no tratamento de pacientes que sofrem de AIDS. Aumenta a imunidade em grande escala. Tem colaborado no tratamento de herpes, câncer e síndrome de fadiga crônica. O uso regular de kefir pode ajudar a remover todo tipo de desordem do aparelho digestivo. A purificação orgânica que promove auxilia a obtenção de um eco sistema interno perfeito para a saúde e para a longevidade. Kefir pode ser usado nos seguintes casos: Desequilíbrios emocionais e de origem nervosa. Erupções cutâneas.

Problemas renais e da bexiga. Anemias. Problemas respiratórios. Alergias. Disfunções hepáticas. Diarréia. Prisão de ventre. Problemas cardio-vasculares (infarto e arteriosclerose). Reumatismos. L.E.R. Tumores. Doenças do estômago, úlceras pépticas e duodenais, gastrite. Digestivo, não produz intolerância ou efeitos colaterais. Em doenças graves e prolongadas deve ser tomado abundantemente três vezes ao dia meio litro por vez. Para bebes a sua colaboração no desenvolvimento de um aparelho digestivo saudável é vital. Kefir é rico em vitamina B12, B1 e vitamina K. É uma fonte excelente de biotina, a vitamina B que aumenta a assimilação das outras vitaminas do complexo B.

Kefir de Leite X Kefir de Água (Tibico)

Kefir de Leite x Kefir de Agua

Qual a diferença entre kefir de água e kefir de leite?

O mais óbvio é que o kefir de leite é cultivado em leite, e o kefir de água (tibico) é cultivado com água acrescido de açúcar mascavo.

O kefir de água (Tibico) e o kefir de Leite tem características diferentes.

Qual as Diferenças Entre o Kefir de Leite e Kefir de Água
Qual as Diferenças Entre o Kefir de Leite e Kefir de Água

Diferentes espécies de organismos e foram isolados em grãos de kefir de leite, tais espécies estão em 4 grupos de gêneros :

LACTOBACILOS
Lactobacillus acidophilus
Lb. brevis [Possivelmente agora Lb. kefiri ]
Lb. casei subsp. casei
Lb. casei subsp. rhamnosus
Lb. paracasei subsp. paracasei
Lb. fermentum
Lb. cellobiosus
Lb. delbrueckii subsp. bulgaricus
Lb. delbrueckii subsp. lactis
Lb. fructivorans
Lb. helveticus subsp. lactis
Lb. hilgardii Lb. helveticus Lb. kefiri Lb.kefiranofaciens subsp. kefirgranum Lb.kefiranofaciens subsp. kefiranofaciens Lb. parakefiriLb. plantarum

ESTREPTOCOCUS /LACTOCOCUS

Streptococcus thermophilus
St. paracitrovorus ^
Lactococcus lactis subsp. lactis
Lc. lactis subsp. lactis biovar. diacetylactis Lc. lactis subsp. cremorisEnterococcus durans Leuconostoc mesenteroides subsp. cremoris Leuc.mesenteroides subsp. mesenteroides Leuc. dextranicum
ACETOBACTER
Acetobacter aceti
Acetobacter rasens
LEVEDURAS
Dekkera anomala t / Brettanomyces anomalus um
Kluyveromyces marxianus t / Candida kefyr a #
Pichia fermentans t / C. firmetaria um
Yarrowia lipolytica t / C. lipolytica um
Debaryomyces hansenii t / C. famata a #
Deb. [Schwanniomyces] occidentalis
Issatchenkia orientalis t / C. krusei um
Galactomyces geotrichum t / Geotrichum candidum um
C. friedrichii
C. rancens
C. tenuis
C. humilis
C. inconspicua
C. maris
Cryptococcus humicolus
Kluyveromyces lactis var. lactis #
Kluyv. bulgaricus
Kluyv. lodderae
Saccharomyces cerevisiae #
Sacc. subsp. Torulopsis holmii
Sacc. pastorianus
Sacc. humaticus
Sacc. unisporus
Sacc. exiguus
Sacc. turicensis sp. novembro Torulaspora delbrueckii t * Zygosaccharomyces rouxii

Os grãos de kefir de água apresentam uma grande flutuação em suas taxas de crescimento.

O aumento pode variar entre 10% e 160% em 48 horas, mesmo quando cultivado usando a mesma porcentagem de açúcar e água na solução (cultivada em temperatura ambiente).

Por outro lado, os grãos de kefir de leite, aumentam à uma taxa constante razoável.

KEFIR DE ÁGUA (TIBICO)

A cor do kefir de água pode variar de um marrom mais escuro ao mais clarinho dependendo da variedade do açúcar usado, igualmente se a pessoa utilizar sucos no cultivo, os grãos podem adquirir a cor do meio de cultivo, por exemplo se usar suco de uva, os grãos ficarão com cor de vinho, as cores mudam de acordo com o meio e retornam aos poucos caso volte a usar somente água e açúcar.

Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer
Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer

Típicos Organismos isolados do grãos de kefir de água:

LACTOBACILOS

Lb. alactosus Lb. brevis Lb. casei subsp. casei Lb. casei subsp. pseudoplantarum Lb. casei subsp.rhamnosus Lb. casei subsp. tolerans Lb. coryneformis subsp.torquens Lb. fructosus Lb. hilgardii Lb. homohiochi Lb. plantarum Lb. pseudoplantarum Lb. yamanashiensis

STREPTOCOCUS/LACTOCOCUS
Streptococcus cremerisStr. faecalisStr. lactis Leuconostoc mesenteroides Pediococcus damnosus

LEVEDURAS
SaccharomycescerevisiaeS. florentinusS. pretoriensis Candida validaC. lambica Kloeckera apiculata Hansenula yalbensis.

Para pessoas alérgicas a leite animal ou com intolerância a lactose o mais indicado é o consumo do Kefir de Água .

Você pode adquirir o Kefir de Água nesse nosso outro site:

Tibicos.com.br

Como Reconhecer um Verdadeiro Kefir de Água ou Tibico ou Cogumelo Chines?

Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer

Como Reconhecer um Verdadeiro Kefir de Água ou TIBICO, Cogumelo Chinês?

Primeiramente, quero esclarecer que grãos que já foram utilizados em transformações de cultivos ou experiências afins tendem a não crescer, tendem a não se obter os resultados desejados, pois ao transformar os grãos de um cultivo para outro estamos abrindo mão de funções probióticas.

O que é necessário entender, é que o Kefir de Água se alimenta de açucares naturais como sacarose e a frutose (encontrada nas frutas) e o Kefir de Leite se alimenta da lactose que só é encontrada em leite animal.

Então não há possibilidade de inversão de culturas mantendo intactas suas funcionalidades. Grãos Reais são aqueles chamados originais, nunca antes transformados ou utilizados em experiências mirabolantes de culturas múltiplas.

COMO É O KEFIR DE ÁGUA VERDADEIRO?
Ele possui a aparência de “grãos” que variam de tamanho, aproximadamente 3 a 7 milímetros e de textura plástica, opaca, ligeiramente transparente que pode ser de coloração branca ou amarelada.

Não se trata de algo desenvolvido por pesquisas de laboratório, foi por séculos um segredo étnico. Estudado por pesquisadores ocidentais no decorrer do século XX, vem se popularizando mundialmente desde 1999 com maior intensidade.

E há uma forte tendência para que ocupe papel de destaque no século XXI. Atribui-se ao uso diário do kefir a famosa longevidade e saúde dos habitantes das montanhas russas do Cáucaso que são os únicos a alcançarem a idade de até 120 anos gozando de total saúde.”

O Kefir de água pode se alimentar de açúcar mascavo, açúcar orgânico, rapadura, melado natural de cana, mel puro, adoçantes naturais, sucos de frutas acidas e frutas secas.

O Kefir de Água pode fermentar em água com açucares naturais, sucos naturais e orgânicos, Chás de ervas frio com açucares naturais, água com frutas secas.

ATENÇÃO: A água para ser usada no Kefir deve ser desprovida das substâncias de cloro e flúor, portanto preferencialmente utilize a água mineral mas recomenda-se ler o seu rotulo de substâncias. A água filtrada deve estar em teor de flúor baixíssimo senão trará problemas ao cultivo.

Kefir de Água – assume a coloração do açúcar utilizado.

Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer
Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer

Kefir: Uma Nova Fonte Alimentar Funcional ?

Kefir Alimento Funcional

Os alimentos funcionais são a nova tendência da indústria de alimentos, em consequência da comprovação científica das relações existentes entre alimentos e saúde e, sobretudo, do interesse do consumidor por novas alternativas que previnam as doenças crônicas não transmissíveis, como as cardiovasculares, certos tipos de câncer, alergias, problemas intestinais entre outros.

De olho nesse mercado, o setor de laticínios vem desenvolvendo novos produtos em que a funcionalidade é o atributo principal. Até recentemente, o consumo de produtos lácteos esteve baseado em iogurtes e queijos, no entanto, o futuro aponta para o uso de produtos probióticos.

Esses alimentos funcionais são suplementos elaborados à base de microorganismos vivos que afetam beneficamente a saúde do hospedeiro.

Mas, tendo em vista os preços de comercialização, esses produtos são consumidos geralmente por indivíduos de alto poder aquisitivo. O esforço dos pesquisadores deveria se concentrar, também, no desenvolvimento de produtos funcionais para as classes menos favorecida da população, promovendo uma “inclusão funcional” dos produtos probióticos. Em oposição, o kefir apresenta baixíssimo custo de produção, além das características funcionais dos probióticos.

Diante desse contexto, este trabalho tem como objetivo demonstrar a viabilidade da utilização do kefir na alimentação diária da população brasileira, sobretudo as de baixa renda, que sofrem de insegurança alimentar, podendo atender as suas necessidades nutricionais e funcionais. A seguir, o kefir é contextualizado no âmbito científico e social, para, em seguida, apresentar um relato de experiência desenvolvido no Recôncavo da Bahia.

Os consumidores preocupados com a saúde estão cada vez mais buscando
alimentos funcionais num esforço para melhorar sua própria saúde e o bem-estar.

Nos últimos anos, o desenvolvimento de novas tecnologias, sobretudo nas áreas de biotecnologia e processamento de alimentos, possibilitou a indústria de alimentos o desenvolvimento de novos produtos, tendo em vista as perspectivas de ganhos nesta área.

Por exemplo, nos Estados Unidos, esse mercado movimenta cerca de 15 bilhões de dólares por ano. No Brasil, existe, pois, um mercado ainda em desenvolvimento para os alimentos funcionais.

Os alimentos funcionais são aqueles que apresentam substâncias com distintas funções biológicas, denominadas componentes bioativos, capazes de modular a fisiologia do organismo, garantindo a manutenção da saúde. Hoje, sabese que a microbiota intestinal é composta por cerca de 100 trilhões de bactérias e por mais de 400 diferentes espécies, constituindo-se em um ecossistema de alta complexibilidade, que abriga bactérias benéficas e patogênicas em harmonia.

Embora a composição da microbiota intestinal seja estável em indivíduos saudáveis, ela pode ser alterada por diversos fatores, como a dieta, os antibióticos, as doenças, o estresse, as drogas, a quimioterapia, o estado fisiológico, o envelhecimento, entre outros.

Diante dessa realidade, os lactobacilos e as bifidobactérias, pertencentes ao grupo de bactérias benéficas, estão sendo utilizadas como probióticos para o equilíbrio da microbiota intestinal nos indivíduos que os ingerem.

A Tabela 1
descreve os microorganismos considerados probióticos pela ANVISA

Tabela 1 – Lista dos microorganismos probióticos aprovadas pela ANVISA
Grupo
funcional
Tipos de microorganismos
Probióticos Lactobacillus acidophilus
Lactobacillus casei shirota
Lactobacillus casei variedade rhamnosus
Lactobacillus casei variedade defensis
Lactobacillus paracasei
Lactococcus lactis
Bifidobacterium bifidum
Bifidobacterium animallis (incluindo a subespécie B. lactis)
Bifidobacterium longum
Enterococcus faecium

Diante desse conhecimento, promoveu-se uma ampla divulgação no uso dos probióticos para a manutenção da saúde do intestino, levando a um considerável aumento no seu consumo. No Brasil, os produtos mais populares, carreadores dessas bactérias, são os leites fermentados. Similarmente, devido a sua composição bioquímica e microbiológica, o kefir apresenta as mesmas características funcionais dos probióticos, mas de baixíssimo custo. O método tradicional de produção da bebida ocorre diretamente pela adição dos grãos de kefir em um litro de leite ou em um litro de água contendo duas colheres de açúcar mascavo, tradicionalmente, os grãos não são vendidos, mas doados. Assim, este alimento nutritivo e terapêutico, de forma artesanal, pode ser preparado em casa, permitindo incluir este produto funcional na alimentação diária da população brasileira, sobretudo nas famílias de baixa renda.

CONHECENDO O KEFIR
O kefir, também conhecido como quefir, tibicos, cogumelos tibetanos, plantas de iogurte, cogumelos do iogurte, é um leite fermentado produzido a partir dos grãos de kefir. É originário do eslavo Keif que significa “bem-estar” ou “bem-viver”.

Acredita-se que teve sua origem nas montanhas do Cáucaso, no Tibet ou Mongólia, há séculos atrás. Quando pergunta-se sobre a origem dos grãos, os caucasianos respondem que foram presente de Alah (Deus), o que explica ter recebido também o nome de “milho do profeta”, em alusão a Maomé.

Nas últimas décadas, o kefir tornou-se popular em vários países da Europa Central e de lá para outros continentes. Enquanto em algumas partes do mundo ainda hoje é um produto desconhecido, na Russia, Canadá, Alemanha, Suécia, Romênia e outros, este produto é produzido comercialmente e consumido em quantidades apreciáveis. No entanto, nos mesmos países onde a bebida é produzida comercialmente, o mesmo é feito em escala familiar, para consumo próprio.

É nesta escala que o kefir ainda é hoje conhecido no Brasil, mesmo com outros nomes. Muitas pessoas que fazem ou fizeram uso do kefir não o conhecem ou conheceram como tal. E outros até o consideram como um tipo de iogurte.

Mesmo assim, o kefir vem conquistando adeptos em várias regiões do país nos últimos anos, devido a suas características sensoriais e suas propriedades terapêuticas.

Ainda discorrendo acerca do tema, é importante lembrar que existe legislação brasileira específica para esse produto. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, através do Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leites Fermentados define kefir como:

Leite fermentado, adicionado ou não de outras substâncias alimentícias, obtidas por coagulação e diminuição do pH do leite, ou reconstituído, adicionado ou não de outros produtos lácteos, cuja fermentação se realiza com cultivos de ácido-lácticos elaborados com grãos de Kefir, Lactobacillus kefir, espécies dos gêneros Leuconostoc, Lactococcus e Acetobacter com produção de ácido láctico, etanol e dióxido de carbono. Os grãos de Kefir são constituídos por leveduras fermentadoras de lactose (Kluyveromyces marxianus) e leveduras não fermentadoras de lactose (Saccharomyces omnisporus e Saccharomyces cerevisae e Saccharomyces exiguus), Lactobacillus casei, Bifidobaterium sp e Streptococcus salivarius subsp hermophilus.

Estabelece, ainda, que os microorganismos específicos devem ser viáveis, ativos e abundantes no produto final durante seu prazo de validade com a contagem mínima de 107 (ufc/g) de bactérias láticas totais e de 104 (ufc/g) de leveduras específicas e de 0,5 a 1,5 de Etanol (% v/m) (BRASIL, 2007).

Diante do exposto acima, observa-se claramente a presença de bactérias probióticas e, também, que o kefir difere de outros leites fermentados porque é resultado metabólico de vários tipos de microorganismos. Sabe-se que os lactobacilos compõem a maior parte da população microbiana, mas a composição total dos grãos não está elucidada completamente, pois a composição microbiana varia conforme a região de origem, o tempo de utilização, o substrato utilizado para proliferação dos grãos e as técnicas usadas em sua manipulação.

Os grãos de kefir são massas gelatinosas medindo de 3 a 35 mm de diâmetro, possuem uma aparência semelhante à couve-flor, apresentando forma irregular e coloração amarelada ou esbranquiçada. Nesta estrutura, existe uma associação simbiótica de leveduras, bactérias ácido-láticas, bactérias ácido-acéticas, entre outros microorganismos, envoltas por uma matriz de polissacarídeos referidos como kefiran.

Os grãos de kefir são capazes de fermentar diversos alimentos, como leite de vaca, cabra, ovelha, búfala, açúcar mascavo, sucos de frutas, extrato de soja, entre outros. A produção da bebida ocorre diretamente pela adição dos grãos no substrato de preferência. Mas, de forma geral, o sabor e o aroma do kefir são resultados da atividade metabólica simbiótica das bactérias e das leveduras que se encontram naturalmente nos grãos. Atualmente, são conhecidos dois tipos de kefir: de água e de leite.

Tradicionalmente, o kefir é um subproduto do leite, resultante de dupla fermentação: láctica e alcoólica. Comercialmente usa-se o leite de vaca, mas ele também pode ser preparado do leite de ovelha, cabra, búfala. O kefir de água é cultivado em água contendo açúcar mascavo ou sucos de frutas, mas a composição microbiana e os produtos formados durante o processo de fermentação são A B similares aos grãos cultivados em leite. Os grãos são amarelos claros quando cultivados em leite e são ocres e pardos quando cultivados em açúcar mascavo.

PRODUÇÃO ARTESANAL DO KEFIR

Os grãos de kefir multiplicam-se conforme vão sendo cultivados. Inicialmente, ocorre um aumento de tamanho e, posteriormente, são subdivididos em novos grãos que mantém o mesmo equilíbrio microbiológico presentes nos grãos de origem.

Geralmente, o crescimento médio diário dos grãos é de 5% para os grãos de leite e cerca de 45% para os grãos de água. Mas, esse crescimento depende de muitos fatores, por exemplo, os grãos se desenvolvem mais rapidamente quando não são lavados; quando não são pressionados na peneira e quando o frasco de fermentação é agitado periodicamente durante o processo.

Os grãos excedentes não são vendidos, mas, tradicionalmente, são doados, contribuindo para o processo de integração das famílias em suas comunidades.

Por ser originado em climas frios, o processo fermentativo do kefir envolve temperaturas mais amenas que as empregadas para outros leites fermentados, podendo ocorrer em temperatura ambiente.
A produção do kefir de água e de leite é semelhante. O método tradicional de produção da bebida ocorre diretamente pela adição de 5% dos grãos de kefir no substrato de preferência. O leite ou água com açúcar mascavo devem ser pasteurizados ou fervidos e depois resfriados a 25ºC (temperatura ambiente) para inoculação dos grãos. Por exemplo, 50 gramas de grãos (2 colheres de sopa) são adicionados em um litro de leite ou em um litro de água contendo 50 gramas de açúcar mascavo (2 colheres de sopa). Após o período de fermentação, que varia de 18 a 24hs, em temperatura ambiente, os grãos são separados da bebida fermentada, por filtração, com uma peneira, e, posteriormente, utilizados para inoculação em um novo substrato.

O filtrado que foi submetido à fermentação lática é transferido para a geladeira, permanecendo por 24 horas, nesta fase, as leveduras produzirão álcool e CO2 tornando o produto mais refrescante. Após a etapa de maturação, o kefir está pronto para o consumo, podendo ser adicionado, ou não, de sucos e pedaços de frutas.

A presença da fermentação lática e alcoólica aumenta a biodisponibilidade do kefir tornando-o mais nutritivo. Durante a fermentação à temperatura ambiente, ocorre uma proteólise das proteínas do leite que são desdobradas para peptídeos menores, ocorrendo acúmulo de aminoácidos.

A hidrólise parcial da proteína torna a bebida de mais fácil digestão quando comparada ao leite que lhe deu origem. Na fase de maturação à temperatura de refrigeração, ao mesmo tempo em que o álcool e o CO2 são produzidos, ocorre o acúmulo de vitaminas do complexo B que são características do metabolismo das leveduras presentes no processo.

Isso é tão importante que na Rússia, o kefir é usado em camadas finas sobre queimaduras com a finalidade de repor a camada da pele mais rapidamente.

As características finais do kefir podem ser modificadas, alterando-se o binômio tempo/temperatura do processo fermentativo. Um tempo maior de fermentação à temperatura ambiente irá resultar num produto mais ácido, ao passo que o período longo de armazenamento a temperatura de refrigeração resulta num produto com teor alcoólico mais elevado. Em adição, para redução significativa da lactose devese fermentar o kefir por mais tempo.

PROPRIEDADES FUNCIONAIS
Os efeitos profiláticos e terapêuticos das bactérias láticas foram estudados no início do século passado, quando Metchnikoff (1908) lançou a teoria sobre o prolongamento da vida por meio do consumo regular de leites fermentados. Desde então, pesquisas vêm corroborando essas observações iniciais, relacionando o consumo de microorganismos probióticos na modulação de enfermidades em diversos modelos experimentais.

Atualmente, a intolerância à lactose afeta 58 milhões de brasileiros que apresentam dificuldades em digerir a lactose pela deficiência da enzima lactase no intestino. Terra (2007) estudou as características físico-químicas, com ênfase no teor de lactose, de filtrado de kefir de leite por períodos de fermentação variados.

Constatou-se que o filtrado apresentou queda do teor de lactose ao longo do tempo, após 36 horas de fermentação, atingiu valores abaixo do valor limite que pode ser consumido por indivíduos intolerantes à lactose. Resultados semelhantes foram observados por Irigoven et al. (2005) e Weschenfelder (2009) quando realizaram as mesmas análises.

Outros pesquisadores têm observado os benefícios do kefir na saúde do intestino. Por exemplo, Cardoso et al. (2003) avaliando o trânsito intestinal de ratos, observaram um estímulo significativo no peristaltismo dos animais que receberam a
suspensão de kefir (65,4%) quando comparados aos do grupo controle (42,9%).
Vinderola et al. (2005) observaram aumento na resposta imunológica da mucosa intestinal de camundongos. Schneedorf e Anfiteatro (2004) conseguiram equilibrar a microbiota intestinal de pacientes submetidos a antibioticoterapia.

Rodrigues et al. (2005) desenvolveram uma pomada a base de kefir para avaliar a ação cicatrizante em ratos com ferida infectada com Staphylococcus aureus. A cicatrização observada nos animais tratados com a formulação de kefir foi 70% maior quando comparado ao grupo controle que foi tratado com uma pomada a base de antibióticos. Utilizando camundongos, Güven et al. (2003) observaram menor peroxidação lipídica nos animais que receberam kefir quando comparado ao grupo que recebeu vitamina E, demonstrando, nesse modelo experimental, o poder antioxidante do kefir.

Atualmente, é possível encontrar diversos conteúdos sobre kefir na internet, no entanto, na literatura científica, são escassos os trabalhos que estudaram suas propriedades funcionais em seres humanos. Sabe-se que o kefir pode equilibrar a microbiota intestinal nos indivíduos que os ingerem, já que essa é uma bebida funcional probiótica. Mas, por outro lado, sabe-se, também, que sua composição microbiana varia conforme a região de origem, o tempo de utilização, o substrato utilizado para proliferação dos grãos, entre outros.

Com isso, sugere-se a construção de protocolos experimentais para padronização dos grãos, visando reduzir a variação nos estudos científicos.
Embora, secularmente, o kefir seja considerado seguro (GRAS) e terapêutico, as pesquisas conduzidas com esse componente funcional poderiam ampliar os modelos experimentais, avançando no contexto social, econômico, cultural, digital, entre outros.

Nesse sentido, os cientistas da área de alimentos e nutrição poderiam gerar soluções para os problemas nutricionais do país, articulando-se com as políticas nacionais no combate à fome. Com isso, no Brasil, além da “inclusão funcional”, aqui considerada como a promoção do acesso a alimentos funcionais, caracteristicamente caros, o consumo de kefir, associado a suas propriedades funcionais, pode melhorar a situação nutricional das famílias de baixa renda, auxiliando no avanço da segurança alimentar e nutricional da população brasileira, sobretudo naquelas de menor poder aquisitivo.

RELATO DE EXPERIÊNCIA
Durante a I Reunião Anual de Ciências e Tecnologia, Inovação e Cultura do Recôncavo da Bahia foi realizado um teste de aceitação com o kefir sabor manga, utilizando como instrumento de avaliação a escala hedônica de nove pontos.

As amostras foram apresentadas monadicamente em copos plásticos descartáveis brancos (50mL) na quantidade de 30mL, em temperatura de refrigeração.
Dos 40 indivíduos que responderam ao questionário, 67,5% era do sexo masculino e 32,5% do sexo feminino. O grupo etário entre 20 e 30 anos foi predominante (57,5%), enquanto que os demais grupos entre 30 e 40 e entre 10 a 20 anos representaram 20% e 17,5% da amostra, respectivamente.
A maioria dos entrevistados (62,5%) declarou ser estudantes e 15% declararam-se professores.

Na escala hedônica, a categoria “nem gostei, nem desgostei” (valor 5) é considerada como uma região de indiferença da relação afetiva do provador com o produto, dividindo a escala em duas outras regiões: a região de aceitação (valores de 6 a 9 ) e a região de rejeição do produto (valores de 1 a 4).

As notas atribuídas ao produto variaram de 6 a 9, obtendo-se um índice de aprovação de 100% dos provadores e aceitação global equivalente a 8 com DP de ± 0,7. Percebe-se que o produto teve uma aceitação bastante satisfatória, demonstrando a viabilidade de sua
produção, principalmente pelo valor nutricional e funcional. Durante a realização da análise sensorial, observou-se que pouquíssimos provadores conheciam o kefir, o que enfatiza a importância da sua popularização no Recôncavo baiano.

Resultados semelhantes foram observados por Santos et al. (2011) quando realizaram o teste de aceitação com o kefir sabor natural na mesma região. Assim, o consumo desse produto colaborará na promoção da saúde e na prevenção das doenças prevalentes
no Recôncavo da Bahia, como anemia e doenças diarreicas, pelo provável aumento da biodisponibilidade de minerais e na inibição de bactérias patogênicas, respectivamente.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
O consumo de kefir, associado a suas propriedades funcionais, pode melhorar a situação nutricional das famílias de baixa renda, auxiliando no avanço da segurança alimentar e nutricional da população brasileira, sobretudo naquelas de menor poder aquisitivo. Por outro lado, embora exista um mercado aberto para os alimentos funcionais, o kefir, ainda é pouco conhecido no Brasil.

Este alimento nutritivo pode ser preparado em casa, oferecendo vários benefícios funcionais. Assim, é preciso incentivar o hábito do consumo deste produto, através da divulgação das informações e benefícios à saúde que o kefir proporciona.

Ao mesmo tempo, esse produto é mais uma opção que a indústria de laticínios pode oferecer ao consumidor, prevendo essa possibilidade, o Brasil já apresenta a legislação para este leite fermentado.

Diante do que foi exposto, conclui-se que o kefir realmente constitui uma boa fonte alimentar para o Brasil devido ao seu baixíssimo custo, utiliza-se apenas grãos doados, leite ou água contendo açúcar mascavo, além de promover a “inclusão funcional” das famílias de menor poder nos produtos probióticos.

Kefir Alimento Funcional
Kefir Alimento Funcional