Kefir de Leite

Como Reconhecer um Verdadeiro Kefir de Água ou Tibico ou Cogumelo Chines?

Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer

Como Reconhecer um Verdadeiro Kefir de Água ou TIBICO, Cogumelo Chinês?

Primeiramente, quero esclarecer que grãos que já foram utilizados em transformações de cultivos ou experiências afins tendem a não crescer, tendem a não se obter os resultados desejados, pois ao transformar os grãos de um cultivo para outro estamos abrindo mão de funções probióticas.

O que é necessário entender, é que o Kefir de Água se alimenta de açucares naturais como sacarose e a frutose (encontrada nas frutas) e o Kefir de Leite se alimenta da lactose que só é encontrada em leite animal.

Então não há possibilidade de inversão de culturas mantendo intactas suas funcionalidades. Grãos Reais são aqueles chamados originais, nunca antes transformados ou utilizados em experiências mirabolantes de culturas múltiplas.

COMO É O KEFIR DE ÁGUA VERDADEIRO?
Ele possui a aparência de “grãos” que variam de tamanho, aproximadamente 3 a 7 milímetros e de textura plástica, opaca, ligeiramente transparente que pode ser de coloração branca ou amarelada.

Não se trata de algo desenvolvido por pesquisas de laboratório, foi por séculos um segredo étnico. Estudado por pesquisadores ocidentais no decorrer do século XX, vem se popularizando mundialmente desde 1999 com maior intensidade.

E há uma forte tendência para que ocupe papel de destaque no século XXI. Atribui-se ao uso diário do kefir a famosa longevidade e saúde dos habitantes das montanhas russas do Cáucaso que são os únicos a alcançarem a idade de até 120 anos gozando de total saúde.”

O Kefir de água pode se alimentar de açúcar mascavo, açúcar orgânico, rapadura, melado natural de cana, mel puro, adoçantes naturais, sucos de frutas acidas e frutas secas.

O Kefir de Água pode fermentar em água com açucares naturais, sucos naturais e orgânicos, Chás de ervas frio com açucares naturais, água com frutas secas.

ATENÇÃO: A água para ser usada no Kefir deve ser desprovida das substâncias de cloro e flúor, portanto preferencialmente utilize a água mineral mas recomenda-se ler o seu rotulo de substâncias. A água filtrada deve estar em teor de flúor baixíssimo senão trará problemas ao cultivo.

Kefir de Água – assume a coloração do açúcar utilizado.

Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer
Kefir de Água Real e Verdadeiro como Reconhecer

Kefir: Uma Nova Fonte Alimentar Funcional ?

Kefir Alimento Funcional

Os alimentos funcionais são a nova tendência da indústria de alimentos, em consequência da comprovação científica das relações existentes entre alimentos e saúde e, sobretudo, do interesse do consumidor por novas alternativas que previnam as doenças crônicas não transmissíveis, como as cardiovasculares, certos tipos de câncer, alergias, problemas intestinais entre outros.

De olho nesse mercado, o setor de laticínios vem desenvolvendo novos produtos em que a funcionalidade é o atributo principal. Até recentemente, o consumo de produtos lácteos esteve baseado em iogurtes e queijos, no entanto, o futuro aponta para o uso de produtos probióticos.

Esses alimentos funcionais são suplementos elaborados à base de microorganismos vivos que afetam beneficamente a saúde do hospedeiro.

Mas, tendo em vista os preços de comercialização, esses produtos são consumidos geralmente por indivíduos de alto poder aquisitivo. O esforço dos pesquisadores deveria se concentrar, também, no desenvolvimento de produtos funcionais para as classes menos favorecida da população, promovendo uma “inclusão funcional” dos produtos probióticos. Em oposição, o kefir apresenta baixíssimo custo de produção, além das características funcionais dos probióticos.

Diante desse contexto, este trabalho tem como objetivo demonstrar a viabilidade da utilização do kefir na alimentação diária da população brasileira, sobretudo as de baixa renda, que sofrem de insegurança alimentar, podendo atender as suas necessidades nutricionais e funcionais. A seguir, o kefir é contextualizado no âmbito científico e social, para, em seguida, apresentar um relato de experiência desenvolvido no Recôncavo da Bahia.

Os consumidores preocupados com a saúde estão cada vez mais buscando
alimentos funcionais num esforço para melhorar sua própria saúde e o bem-estar.

Nos últimos anos, o desenvolvimento de novas tecnologias, sobretudo nas áreas de biotecnologia e processamento de alimentos, possibilitou a indústria de alimentos o desenvolvimento de novos produtos, tendo em vista as perspectivas de ganhos nesta área.

Por exemplo, nos Estados Unidos, esse mercado movimenta cerca de 15 bilhões de dólares por ano. No Brasil, existe, pois, um mercado ainda em desenvolvimento para os alimentos funcionais.

Os alimentos funcionais são aqueles que apresentam substâncias com distintas funções biológicas, denominadas componentes bioativos, capazes de modular a fisiologia do organismo, garantindo a manutenção da saúde. Hoje, sabese que a microbiota intestinal é composta por cerca de 100 trilhões de bactérias e por mais de 400 diferentes espécies, constituindo-se em um ecossistema de alta complexibilidade, que abriga bactérias benéficas e patogênicas em harmonia.

Embora a composição da microbiota intestinal seja estável em indivíduos saudáveis, ela pode ser alterada por diversos fatores, como a dieta, os antibióticos, as doenças, o estresse, as drogas, a quimioterapia, o estado fisiológico, o envelhecimento, entre outros.

Diante dessa realidade, os lactobacilos e as bifidobactérias, pertencentes ao grupo de bactérias benéficas, estão sendo utilizadas como probióticos para o equilíbrio da microbiota intestinal nos indivíduos que os ingerem.

A Tabela 1
descreve os microorganismos considerados probióticos pela ANVISA

Tabela 1 – Lista dos microorganismos probióticos aprovadas pela ANVISA
Grupo
funcional
Tipos de microorganismos
Probióticos Lactobacillus acidophilus
Lactobacillus casei shirota
Lactobacillus casei variedade rhamnosus
Lactobacillus casei variedade defensis
Lactobacillus paracasei
Lactococcus lactis
Bifidobacterium bifidum
Bifidobacterium animallis (incluindo a subespécie B. lactis)
Bifidobacterium longum
Enterococcus faecium

Diante desse conhecimento, promoveu-se uma ampla divulgação no uso dos probióticos para a manutenção da saúde do intestino, levando a um considerável aumento no seu consumo. No Brasil, os produtos mais populares, carreadores dessas bactérias, são os leites fermentados. Similarmente, devido a sua composição bioquímica e microbiológica, o kefir apresenta as mesmas características funcionais dos probióticos, mas de baixíssimo custo. O método tradicional de produção da bebida ocorre diretamente pela adição dos grãos de kefir em um litro de leite ou em um litro de água contendo duas colheres de açúcar mascavo, tradicionalmente, os grãos não são vendidos, mas doados. Assim, este alimento nutritivo e terapêutico, de forma artesanal, pode ser preparado em casa, permitindo incluir este produto funcional na alimentação diária da população brasileira, sobretudo nas famílias de baixa renda.

CONHECENDO O KEFIR
O kefir, também conhecido como quefir, tibicos, cogumelos tibetanos, plantas de iogurte, cogumelos do iogurte, é um leite fermentado produzido a partir dos grãos de kefir. É originário do eslavo Keif que significa “bem-estar” ou “bem-viver”.

Acredita-se que teve sua origem nas montanhas do Cáucaso, no Tibet ou Mongólia, há séculos atrás. Quando pergunta-se sobre a origem dos grãos, os caucasianos respondem que foram presente de Alah (Deus), o que explica ter recebido também o nome de “milho do profeta”, em alusão a Maomé.

Nas últimas décadas, o kefir tornou-se popular em vários países da Europa Central e de lá para outros continentes. Enquanto em algumas partes do mundo ainda hoje é um produto desconhecido, na Russia, Canadá, Alemanha, Suécia, Romênia e outros, este produto é produzido comercialmente e consumido em quantidades apreciáveis. No entanto, nos mesmos países onde a bebida é produzida comercialmente, o mesmo é feito em escala familiar, para consumo próprio.

É nesta escala que o kefir ainda é hoje conhecido no Brasil, mesmo com outros nomes. Muitas pessoas que fazem ou fizeram uso do kefir não o conhecem ou conheceram como tal. E outros até o consideram como um tipo de iogurte.

Mesmo assim, o kefir vem conquistando adeptos em várias regiões do país nos últimos anos, devido a suas características sensoriais e suas propriedades terapêuticas.

Ainda discorrendo acerca do tema, é importante lembrar que existe legislação brasileira específica para esse produto. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, através do Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leites Fermentados define kefir como:

Leite fermentado, adicionado ou não de outras substâncias alimentícias, obtidas por coagulação e diminuição do pH do leite, ou reconstituído, adicionado ou não de outros produtos lácteos, cuja fermentação se realiza com cultivos de ácido-lácticos elaborados com grãos de Kefir, Lactobacillus kefir, espécies dos gêneros Leuconostoc, Lactococcus e Acetobacter com produção de ácido láctico, etanol e dióxido de carbono. Os grãos de Kefir são constituídos por leveduras fermentadoras de lactose (Kluyveromyces marxianus) e leveduras não fermentadoras de lactose (Saccharomyces omnisporus e Saccharomyces cerevisae e Saccharomyces exiguus), Lactobacillus casei, Bifidobaterium sp e Streptococcus salivarius subsp hermophilus.

Estabelece, ainda, que os microorganismos específicos devem ser viáveis, ativos e abundantes no produto final durante seu prazo de validade com a contagem mínima de 107 (ufc/g) de bactérias láticas totais e de 104 (ufc/g) de leveduras específicas e de 0,5 a 1,5 de Etanol (% v/m) (BRASIL, 2007).

Diante do exposto acima, observa-se claramente a presença de bactérias probióticas e, também, que o kefir difere de outros leites fermentados porque é resultado metabólico de vários tipos de microorganismos. Sabe-se que os lactobacilos compõem a maior parte da população microbiana, mas a composição total dos grãos não está elucidada completamente, pois a composição microbiana varia conforme a região de origem, o tempo de utilização, o substrato utilizado para proliferação dos grãos e as técnicas usadas em sua manipulação.

Os grãos de kefir são massas gelatinosas medindo de 3 a 35 mm de diâmetro, possuem uma aparência semelhante à couve-flor, apresentando forma irregular e coloração amarelada ou esbranquiçada. Nesta estrutura, existe uma associação simbiótica de leveduras, bactérias ácido-láticas, bactérias ácido-acéticas, entre outros microorganismos, envoltas por uma matriz de polissacarídeos referidos como kefiran.

Os grãos de kefir são capazes de fermentar diversos alimentos, como leite de vaca, cabra, ovelha, búfala, açúcar mascavo, sucos de frutas, extrato de soja, entre outros. A produção da bebida ocorre diretamente pela adição dos grãos no substrato de preferência. Mas, de forma geral, o sabor e o aroma do kefir são resultados da atividade metabólica simbiótica das bactérias e das leveduras que se encontram naturalmente nos grãos. Atualmente, são conhecidos dois tipos de kefir: de água e de leite.

Tradicionalmente, o kefir é um subproduto do leite, resultante de dupla fermentação: láctica e alcoólica. Comercialmente usa-se o leite de vaca, mas ele também pode ser preparado do leite de ovelha, cabra, búfala. O kefir de água é cultivado em água contendo açúcar mascavo ou sucos de frutas, mas a composição microbiana e os produtos formados durante o processo de fermentação são A B similares aos grãos cultivados em leite. Os grãos são amarelos claros quando cultivados em leite e são ocres e pardos quando cultivados em açúcar mascavo.

PRODUÇÃO ARTESANAL DO KEFIR

Os grãos de kefir multiplicam-se conforme vão sendo cultivados. Inicialmente, ocorre um aumento de tamanho e, posteriormente, são subdivididos em novos grãos que mantém o mesmo equilíbrio microbiológico presentes nos grãos de origem.

Geralmente, o crescimento médio diário dos grãos é de 5% para os grãos de leite e cerca de 45% para os grãos de água. Mas, esse crescimento depende de muitos fatores, por exemplo, os grãos se desenvolvem mais rapidamente quando não são lavados; quando não são pressionados na peneira e quando o frasco de fermentação é agitado periodicamente durante o processo.

Os grãos excedentes não são vendidos, mas, tradicionalmente, são doados, contribuindo para o processo de integração das famílias em suas comunidades.

Por ser originado em climas frios, o processo fermentativo do kefir envolve temperaturas mais amenas que as empregadas para outros leites fermentados, podendo ocorrer em temperatura ambiente.
A produção do kefir de água e de leite é semelhante. O método tradicional de produção da bebida ocorre diretamente pela adição de 5% dos grãos de kefir no substrato de preferência. O leite ou água com açúcar mascavo devem ser pasteurizados ou fervidos e depois resfriados a 25ºC (temperatura ambiente) para inoculação dos grãos. Por exemplo, 50 gramas de grãos (2 colheres de sopa) são adicionados em um litro de leite ou em um litro de água contendo 50 gramas de açúcar mascavo (2 colheres de sopa). Após o período de fermentação, que varia de 18 a 24hs, em temperatura ambiente, os grãos são separados da bebida fermentada, por filtração, com uma peneira, e, posteriormente, utilizados para inoculação em um novo substrato.

O filtrado que foi submetido à fermentação lática é transferido para a geladeira, permanecendo por 24 horas, nesta fase, as leveduras produzirão álcool e CO2 tornando o produto mais refrescante. Após a etapa de maturação, o kefir está pronto para o consumo, podendo ser adicionado, ou não, de sucos e pedaços de frutas.

A presença da fermentação lática e alcoólica aumenta a biodisponibilidade do kefir tornando-o mais nutritivo. Durante a fermentação à temperatura ambiente, ocorre uma proteólise das proteínas do leite que são desdobradas para peptídeos menores, ocorrendo acúmulo de aminoácidos.

A hidrólise parcial da proteína torna a bebida de mais fácil digestão quando comparada ao leite que lhe deu origem. Na fase de maturação à temperatura de refrigeração, ao mesmo tempo em que o álcool e o CO2 são produzidos, ocorre o acúmulo de vitaminas do complexo B que são características do metabolismo das leveduras presentes no processo.

Isso é tão importante que na Rússia, o kefir é usado em camadas finas sobre queimaduras com a finalidade de repor a camada da pele mais rapidamente.

As características finais do kefir podem ser modificadas, alterando-se o binômio tempo/temperatura do processo fermentativo. Um tempo maior de fermentação à temperatura ambiente irá resultar num produto mais ácido, ao passo que o período longo de armazenamento a temperatura de refrigeração resulta num produto com teor alcoólico mais elevado. Em adição, para redução significativa da lactose devese fermentar o kefir por mais tempo.

PROPRIEDADES FUNCIONAIS
Os efeitos profiláticos e terapêuticos das bactérias láticas foram estudados no início do século passado, quando Metchnikoff (1908) lançou a teoria sobre o prolongamento da vida por meio do consumo regular de leites fermentados. Desde então, pesquisas vêm corroborando essas observações iniciais, relacionando o consumo de microorganismos probióticos na modulação de enfermidades em diversos modelos experimentais.

Atualmente, a intolerância à lactose afeta 58 milhões de brasileiros que apresentam dificuldades em digerir a lactose pela deficiência da enzima lactase no intestino. Terra (2007) estudou as características físico-químicas, com ênfase no teor de lactose, de filtrado de kefir de leite por períodos de fermentação variados.

Constatou-se que o filtrado apresentou queda do teor de lactose ao longo do tempo, após 36 horas de fermentação, atingiu valores abaixo do valor limite que pode ser consumido por indivíduos intolerantes à lactose. Resultados semelhantes foram observados por Irigoven et al. (2005) e Weschenfelder (2009) quando realizaram as mesmas análises.

Outros pesquisadores têm observado os benefícios do kefir na saúde do intestino. Por exemplo, Cardoso et al. (2003) avaliando o trânsito intestinal de ratos, observaram um estímulo significativo no peristaltismo dos animais que receberam a
suspensão de kefir (65,4%) quando comparados aos do grupo controle (42,9%).
Vinderola et al. (2005) observaram aumento na resposta imunológica da mucosa intestinal de camundongos. Schneedorf e Anfiteatro (2004) conseguiram equilibrar a microbiota intestinal de pacientes submetidos a antibioticoterapia.

Rodrigues et al. (2005) desenvolveram uma pomada a base de kefir para avaliar a ação cicatrizante em ratos com ferida infectada com Staphylococcus aureus. A cicatrização observada nos animais tratados com a formulação de kefir foi 70% maior quando comparado ao grupo controle que foi tratado com uma pomada a base de antibióticos. Utilizando camundongos, Güven et al. (2003) observaram menor peroxidação lipídica nos animais que receberam kefir quando comparado ao grupo que recebeu vitamina E, demonstrando, nesse modelo experimental, o poder antioxidante do kefir.

Atualmente, é possível encontrar diversos conteúdos sobre kefir na internet, no entanto, na literatura científica, são escassos os trabalhos que estudaram suas propriedades funcionais em seres humanos. Sabe-se que o kefir pode equilibrar a microbiota intestinal nos indivíduos que os ingerem, já que essa é uma bebida funcional probiótica. Mas, por outro lado, sabe-se, também, que sua composição microbiana varia conforme a região de origem, o tempo de utilização, o substrato utilizado para proliferação dos grãos, entre outros.

Com isso, sugere-se a construção de protocolos experimentais para padronização dos grãos, visando reduzir a variação nos estudos científicos.
Embora, secularmente, o kefir seja considerado seguro (GRAS) e terapêutico, as pesquisas conduzidas com esse componente funcional poderiam ampliar os modelos experimentais, avançando no contexto social, econômico, cultural, digital, entre outros.

Nesse sentido, os cientistas da área de alimentos e nutrição poderiam gerar soluções para os problemas nutricionais do país, articulando-se com as políticas nacionais no combate à fome. Com isso, no Brasil, além da “inclusão funcional”, aqui considerada como a promoção do acesso a alimentos funcionais, caracteristicamente caros, o consumo de kefir, associado a suas propriedades funcionais, pode melhorar a situação nutricional das famílias de baixa renda, auxiliando no avanço da segurança alimentar e nutricional da população brasileira, sobretudo naquelas de menor poder aquisitivo.

RELATO DE EXPERIÊNCIA
Durante a I Reunião Anual de Ciências e Tecnologia, Inovação e Cultura do Recôncavo da Bahia foi realizado um teste de aceitação com o kefir sabor manga, utilizando como instrumento de avaliação a escala hedônica de nove pontos.

As amostras foram apresentadas monadicamente em copos plásticos descartáveis brancos (50mL) na quantidade de 30mL, em temperatura de refrigeração.
Dos 40 indivíduos que responderam ao questionário, 67,5% era do sexo masculino e 32,5% do sexo feminino. O grupo etário entre 20 e 30 anos foi predominante (57,5%), enquanto que os demais grupos entre 30 e 40 e entre 10 a 20 anos representaram 20% e 17,5% da amostra, respectivamente.
A maioria dos entrevistados (62,5%) declarou ser estudantes e 15% declararam-se professores.

Na escala hedônica, a categoria “nem gostei, nem desgostei” (valor 5) é considerada como uma região de indiferença da relação afetiva do provador com o produto, dividindo a escala em duas outras regiões: a região de aceitação (valores de 6 a 9 ) e a região de rejeição do produto (valores de 1 a 4).

As notas atribuídas ao produto variaram de 6 a 9, obtendo-se um índice de aprovação de 100% dos provadores e aceitação global equivalente a 8 com DP de ± 0,7. Percebe-se que o produto teve uma aceitação bastante satisfatória, demonstrando a viabilidade de sua
produção, principalmente pelo valor nutricional e funcional. Durante a realização da análise sensorial, observou-se que pouquíssimos provadores conheciam o kefir, o que enfatiza a importância da sua popularização no Recôncavo baiano.

Resultados semelhantes foram observados por Santos et al. (2011) quando realizaram o teste de aceitação com o kefir sabor natural na mesma região. Assim, o consumo desse produto colaborará na promoção da saúde e na prevenção das doenças prevalentes
no Recôncavo da Bahia, como anemia e doenças diarreicas, pelo provável aumento da biodisponibilidade de minerais e na inibição de bactérias patogênicas, respectivamente.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
O consumo de kefir, associado a suas propriedades funcionais, pode melhorar a situação nutricional das famílias de baixa renda, auxiliando no avanço da segurança alimentar e nutricional da população brasileira, sobretudo naquelas de menor poder aquisitivo. Por outro lado, embora exista um mercado aberto para os alimentos funcionais, o kefir, ainda é pouco conhecido no Brasil.

Este alimento nutritivo pode ser preparado em casa, oferecendo vários benefícios funcionais. Assim, é preciso incentivar o hábito do consumo deste produto, através da divulgação das informações e benefícios à saúde que o kefir proporciona.

Ao mesmo tempo, esse produto é mais uma opção que a indústria de laticínios pode oferecer ao consumidor, prevendo essa possibilidade, o Brasil já apresenta a legislação para este leite fermentado.

Diante do que foi exposto, conclui-se que o kefir realmente constitui uma boa fonte alimentar para o Brasil devido ao seu baixíssimo custo, utiliza-se apenas grãos doados, leite ou água contendo açúcar mascavo, além de promover a “inclusão funcional” das famílias de menor poder nos produtos probióticos.

Kefir Alimento Funcional
Kefir Alimento Funcional

O que é Kefir ?

O que é Kefir ?

Este post foi criado com o intuito de ajudar os marinheiros de primeira viagem.

Você está preparado para conhecer o maravilhoso mundo do Kefir ?

Kefir é uma colônia de microrganismos simbióticos imersa em uma matriz composta de polissacarídeos e proteínas. Originário do Cáucaso é formado por lactobacilos e leveduras aptos a fermentar diversos substratos – sendo o leite (caprino ou bovino), historicamente, o mais comum deles.

O efeito probiótico do Kefir
Muito se tem dito sobre o Kefir às vezes sem fundamento científico. O que já se comprovou foi a limpeza da membrana intestinal, trazendo grande alívio para muitos sintomas que confundem os diagnósticos médicos. Apesar de pobre na maioria das vitaminas, a vitamina D é muito abundante.

Os minerais também não se apresentam em quantidades expressivas, apenas o cálcio em forma de sais, que é mais facilmente absorvidos que o cálcio contido no leite não-fermentado. O maior mérito do Kefir está na alta qualidade e quantidade de aminoácidos e na eliminação de microorganismos patogênicos da flora intestinal.

O kefir já foi testado em laboratório in vitro e em animais, onde observou-se propriedades anticancerígenas, antifúngicas, antivirais e antimutagênicas, ainda não demonstradas cientificamente em seres humanos.

Restrições ao uso
Apesar das descrições anedóticas, não há nenhuma comprovação científica de que o kefir seja eficaz no tratamento de qualquer doença.

Em portadores de intolerância a lactose, apesar da fermentação reduzir a quantidade de lactose do leite, ainda assim pode levar a sintomas se a intolerância for severa. Apesar de não haver contra-indicação formal, a fermentação leva à produção de etanol, porém em quantidades mínimas, não sendo recomendado o uso do kefir por portadores de hepatopatias de qualquer etiologia.

O que é Kefir ?
O que é Kefir ?

O Kefir emagrece ?

kefir de leite

Semelhante ao iogurte
só que ainda mais poderoso para o corpo e a saúde
essa bebida probiótica virou mania. E o melhor de tudo! é 100% Gratuito.

Nas prateleiras dos supermercados, uma enorme variedade de bebidas e iogurtes ricos em substâncias que prometem regular o intestino e promover uma série de benefícios ao organismo faz o maior sucesso entre consumidores antenados, como a apresentadora Ana Hickmann. Ex-gordinha – chegou a pesar 78 kg e a usar manequim 48! – a loira é adepta desses produtos na hora de espantar a fome e manter a forma. Segue até uma receita caseira: “Bato iogurte desnatado com o pó da gelatina, coloco na geladeira e depois devoro como se fosse uma mousse.”

Mal sabe ela que dá para fazer em casa um iogurte ainda mais potente a partir do cultivo de uma colônia de organismos vivos – leveduras, lactobacilos e outras bactérias. É o chamado kefir. “Com mais de 40 microorganismos, esse alimento probiótico regula o intestino, além de melhorar o sistema imunológico e de ser rico em nutrientes que colaboram para o bom funcionamento do corpo”, explica Neide Rigo, nutricionista paulista que consome os grãos há cerca de cinco anos.

Apesar de não haver muitas pesquisas científicas sobre o alimento, quem o ingere freqüentemente – recomenda-se cerca de 100 ml por dia – garante que, além de estimular o funcionamento do intestino, ele combate alergias e até herpes, reforça a disposição física e ainda contribui para secar os quilos extras.

O mais curioso é que não há como encontrá-lo no mercado ou em loja de produtos nacionais. “No Brasil não se consegue comprar os grãos. A melhor forma de adquiri-los é através de cultivadores, que os fornecem gratuitamente”, conta a nutricionista.

A história do grão
Acredita-se que o kefir tenha surgido há séculos no Cáucaso, nordeste da Rússia, a partir da fermentação casual do leite. Desde então, ele vem sendo cultivado em casa e passado de mão em mão. Há dois tipos de kefir: o de leite (mais comum e estudado) e o de água (sensível, é difícil de criar. Receita: uma colher – sopa – do grão e três de açúcar mascavo em um litro de água mineral. Fechar hermeticamente e esperar fermentar por um dia).

Alimento benéfico
O kefir é produzido pela combinação de leite com uma mistura de fungos e lactobacilos. “Ele é rico em vitaminas B12, B1 e K, cálcio, fósforo, ácido fólico e magnésio, entre outros nutrientes”, conta Neide Rigo. Apesar de não haver contraindicações, quem tem qualquer problema de saúde deve consultar um médico antes de aderir ao hábito de tomar a bebida diariamente.

Dicas para iniciantes

• O kefir pode ser cultivado em qualquer tipo de leite – integral, desnatado, longa-vida… “Quem quer perder peso deve optar pelo desnatado”, aconselha a nutricionista.

• A bebida é semelhante à coalhada fresca e pode ser consumida pura ou adoçada com açúcar, adoçante ou mel. Ela combina também com cereais e ainda batida com frutas naturais ou congeladas.

• Uma vez por semana, enxágüe os grãos em água mineral. Atenção: o cloro da água da torneira pode matar o kefir!

• Só use objetos de vidro, plástico ou madeira para mantê-lo. Ele é sensível a objetos de metal.

• Se o pote for hermeticamente fechado, ocorrerá uma maior fermentação alcoólica. Não perderá as propriedades, mas o gosto ficará mais forte.

• Em temperatura ambiente, o kefir fica pronto para o consumo em aproximadamente 12 horas. Quem não for consumi-lo diariamente pode armazenar o iogurte na geladeira por até três dias.

• Se os grãos apresentarem cor estranha – diferente da típica, que é branca – ou cheiro ruim, jogue-os fora. • Com o cultivo, ele se multiplicará – hora de doar os grãos em excesso. Uma colher (sopa) é o necessário para começar uma nova criação.

• Quando for viajar ou não puder cuidar dos grãos – ou até mesmo enjoar do kefir – basta deixá-lo no freezer. Se quiser consumi-lo ou cultivá-lo novamente, bastará descongelá-lo.

Onde conseguir:

você pode comprar aqui no nosso site.

kefir de leite

As diferenças entre Kefir de água e Kefir de Leite

Existem várias diferenças entre o Kefir de água e o de leite (Kefir Real), seria ideal ter as duas culturas em casa e ver com qual você se adapta melhor, porem, tanto uma como a outra oferecem uma bebida saudavel e refrescante.

Existem várias diferenças, a começar pelo cultivo; o tibico fermenta na água com açúcar mascavo. podendo também ser cultivado em chás e sucos naturais, Os grãos do Kefir de água são massas mucilaginosas transparentes e pequenas, que consistem em polissacarídeos (dextrans) com cadeias compostas apenas de glicose. Em um nível físico, os grãos de Kefir de água tradicionais são mais densos do que os grãos de Kefir de leite tradicionais do Cáucaso, pois estes têm uma propriedade elástica que falta àqueles. Os anteriores são completamente delicados, tendo uma tendência a lascar-se ou cortar facilmente com qualquer aresta. Estes grânulos, saltam quando deixados cair em uma superfície sólida, o que não acontece com os grãos de Kefir de leite. Os grãos de Kefir de água crescem diariamente em torno de 30% do seu volume, totalmente ao contrário ao Kefir de leite que demora um mês ou mais para dobrar de volume.

O Kefir de leite, cultivado em qualquer tipo de leite, é excelente para regular o intestino (a priori), com muitos outros beneficios, sendo seu uso na culinária eficientíssimo.

Beneficios mais conhecidos do Kefir de leite
Regula o sistema imunológico, aumentando a resistência a doenças. Tem uma influência positiva no coração, sangue e sistema circulatório; cura problemas nos rins, no tracto urinário e protege a próstata; tem uma influência positiva no colesterol, osteoporose e reumatismo; suporta a produção de enzimas e recupera o pâncreas; melhora o funcionamento do fígado, baço, regulariza a produção da bílis, influenciando positivamente na ocorrência da hepatite; cura colite, diarréia, catarro; cura a candidíase; reequilibra a flora intestinal e os ácidos do estômago, cura o duodeno e úlceras; produz seu próprio antibiótico, eliminando bactérias nocivas; cura inflamações internas e externas; é totalmente favorável à quem não tolera a lactose, devido a eliminá-la em seu processo fermentativo; produtos elaborados à base de Kefir de leite não causam reação negativa ao intolerante à lactose; produz componentes anticancerígenos, prevenindo a metástase e favorecendo a cura. Reduz a ansiedade, a depressão, aumentando a energia e a sensação de bem-estar; produz todas as vitaminas necessárias e bactérias benéficas à saúde diária. Quase um século de estudo científico e médico confirmam a lista acima disponível pelo Diário de Pesquisas do Instituto da antiga URSS. Com o aumento do custo mundial dos cuidados médicos por doenças crônicas, o Kefir real está não só ganhando a popularidade pelos seus benefícios à saúde,mas também pelo seu baixo custo médico. Com a crescente resistência aos antibióticos, pesquisas intensivas sobre Kefir real estão sendo conduzidas na Europa e Japão.

Beneficios mais conhecidos do Kefir de água
Com potencial depurativo mais elevado, promove de imediato a eliminação de toxinas em todo o organismo. Seu uso cosmético é eficientíssimo. Algumas receitas incluem a adição de frutas secas tais como o figo, o damasco ou passas, que realçam o sabor e aumentam os nutrientes. Regula o sistema imunológico e aumenta a resistência a doenças; Regula a tensão arterial, o açúcar no sangue e cura a diabetes; Cura bronquites, tuberculoses, asma, alergias e enxaquecas. Cura vários tipos de eczema e desordens de pele, como a psoríase e a acne, Regulariza o metabolismo, a digestão e ajuda no funcionamento do cólon; alivia a candidíase, podendo chegar à cura. Assim como o Kefir de leite, reduz a ansiedade, a depressão, aumentando a energia e a sensação de bem-estar; Retarda o processo de envelhecimento, auxilia decisivamente a vitalidade da pele, cabelo e músculos; enzimático em potencial, acelera o metabolismo e é de extrema eficiência na manutenção do peso ideal.

kefir para que serve

O mundo maravilhoso do Kefir

O Mundo Maravilhoso do Kefir

O que é Kefir ?
É uma bebida refrescante de leite fermentado que foi cultivada durante muitos séculos pelos povos das montanhas do norte do Cáucaso. A palavra kefir é derivada do turco keif que pode ser forçosamente traduzida como bom sentimento ou sentir-se bem.

Também conhecido como…
Cogumelos Tibetanos, Plantas de Iogurte, Cogumelos do Iogurte, Fungo do Iogurte, Lotus de Neve, Kin-oko ou Tane-oko (Japão) ou Tibetanischer Pilz (Alemanha), o Kefir possui uma consistência cremosa espessa uniforme, um leve gosto ácido que refresca e um aroma moderado de levedura fresca. Também tem uma efervescência natural de gosto “carbonatado”. Há cerca de 40 combinações aromáticas, o que contribui para seu sabor inigualável e odor agradável e único. O Kefir pode conter entre 0,08 a 2% de álcool. Para o kefir com 24h de fermentação os valores ficam entre 0,08 a 0,5%.

Como preparar
O kefir é facilmente preparado em casa. O leite fresco cru, pasteurizado ou não, desnatado, semi-desnatado ou integral é colocado em um recipiente apropriado, limpo, com os grãos de kefir. O conteúdo é deixado à temperatura ambiente por aproximadamente 24 horas. O leite fermentado é coado para separar e recuperar os grãos do kefir líquido que são adicionados a mais leite fresco, repetindo o processo. Os grãos de kefir são para sempre. O kefir líquido já fermentado é coado, podendo ser consumido imediatamente ou refrigerado para consumo posterior.

Como são cultivados em ambiente líquido, os grãos se multiplicam. Eventualmente uma parcela deve ser removida para prevenir a superpopulação. Este processo ajuda também a manter uma relação constante entre grãos e líquido.

Os Benefícios
É um alimento facilmente digerível e uma rica fonte de proteínas e cálcio, que pode ser incluído na dieta diária de qualquer pessoa. Em linhas gerais promove uma purificação orgânica que auxilia a saúde e conseqüentemente a longevidade.

Kefir também é rico em vitamina B12, B1 e vitamina K. É uma fonte excelente de biotina, a vitamina B que aumenta a assimilação das outras vitaminas do complexo B. Seus grãos têm propriedades antitumorais, antibacterianas e antifúngicas e seu consumo diário produz bons efeitos em convalescença após doenças graves. Quando se têm afecções crônicas, deve-se beber kefir pela manhã, ao meio dia e à noite, ½ litro por vez. Digestivo, dificilmente produz intolerância ou efeitos colaterais. A ingestão diária de 1 litro de kefir tem efeito comprovado no auxílio do tratamento de:

* Distúrbios nervosos (ansiedade, insônia, síndrome de fadiga crônica)
* Catarros bronquiais e outros problemas respiratórios
* Alergias (em caso de erupções cutâneas, a ingestão de ½ litro por dia basta e recomenda-se o uso externo, friccionando o kefir nas áreas afetadas e deixando secar na pele)
* Escleroses
* Reumatismo e L.E.R. (lesões por esforços repetitivos)
* Tumores
* Problemas cardiovasculares (infarte e arteriosclerose)
* Problemas de vesícula
* Disfunções hepáticas
* Problemas renais e icterícia
* Doenças do estômago: gastrite, úlceras, regulariza a digestão
* Problemas intestinais: diarréias, intestino preguiçoso ou preso, hemorróidas.
* Problemas de sangue: anemia, leucemia
* Problemas de pele: dermatites, eczemas, lúpus, cândida, psoríase, herpes
* Males do Século: irradiações, exposições a monitores de vídeo, na desintoxicação de poluentes tóxicos
* Excesso de peso: acentua amplamente a assimilação de nutrientes e equilibra de maneira geral as funções do organismo, provoca uma sensação agradável de saciedade, que reduz o hábito de comer por compulsão, depressão ou ansiedade. O kefir, especialmente o de leite, pode ser usado nos lanches entre as refeições, substituindo outros alimentos mais calóricos, mesmo quando batido com frutas e cereais, desde que se evite o uso de açúcar ou mel. No entanto não é recomendada a associação simultânea de kefir com jejum e para os que gostam de jejuar, o uso nestes dias pode ser suspenso. Se alimentar só de kefir é uma atitude errada e contra-indicada.

Além disso…
O kefir previne a prisão de ventre, regularizando o processo digestivo, restaurando a microflora intestinal, o que é ótimo para quem se submeteu a longos tratamentos com antibióticos. O kefir de água, após 12 horas de fermentação, produz efeito laxante e com 40 horas atua como normalizador. Quando fermentado por mais de 48 horas ele não deve ser ingerido.

O Mundo Maravilhoso do Kefir
O Mundo Maravilhoso do Kefir

Propriedades do Kefir

Propriedades do Kefir

O Kefir é originário do Cáucaso e composto por lactobacilos e leveduras. Os grãos se tornam mais ativos em altas temperaturas (20 a 37ºC) e, assim, se multiplicam e aumentam de tamanho mais rapidamente (em questão de horas).

Após a fermentação, o Kefir pode ser guardado em geladeira e consumido em até 3 dias.
Para cultivar o Kefir coloque 1 colher de sopa de Kefir e meio litro de leite em um pote de vidro. Um Kefir mais leve é produzido em 6 horas de fermentação. Se quiser mais ácido é só deixar por mais horas.

Antes de consumir peneire os grãos e consuma somente o líquido. Os grãos podem ser fermentados novamente e o leite pode ser consumido na hora ou guardado na geladeira para ser ingerido em outro momento. Porém, jamais congele o Kefir para que os microorganismos presentes não desapareçam.

Ao peneirar poderá observar uma gosma branca que é chamada de Kefiran, considerado um poderoso anti-cancerígeno.

O Kefir tem aparência de uma coalhada e pode ser misturado em diversas receitas, como: frutas, mel, cereais, receitas que levam leite ou iogurte (substituindo estes ingredientes).

Ainda não foram descobertos todos os microorganismos e nutrientes que o kefir contém, mas o que se sabe é que possui:
8 leveduras, 2 bactérias acéticas, cerca de 16 lactobacilos, cerca de 9 streptococci/lactococci, ácido fólico, ácido pantotênico (vitamina B5), biotina (vitamina B), cálcio, carboidratos, fósforo, gordura, lactase, magnésio, niacina (vitamina B3), potássio, proteínas, piridoxina (vitamina B6), triptofano, vários outros aminoácidos benéficos, vitamina B12, vitamina K.
É recomendado que não se utilize objetos de metal para manipular o Kefir por causa da possível reação do ácido da fermentação com o metal.
Estudos sugerem que seus benefícios são muitos, entre eles:

  • Combate a asma, acne, problemas renais, acidez estomacal, problemas circulatórios, colesterol, reumatismo, osteoporose, hepatite, bronquite, catarro, tuberculose, descontrole da produção de bilis, alergias, enxaqueca, males do cólon, úlceras, problemas digestivos, colites, bactérias hostis,
    prisão de ventre, diarréia, candidíase, inflamações intestinais, depressão, diversos eczemas, escleroses, tumores, problemas cardiovasculares;
  • Auxilia a regular a pressão sanguínea;
  • Aumenta o sistema imunológico melhorando a resistência contra inúmeras doenças;
  • Regula a glicose presente no sangue melhorando o diabetes;
  • Beneficia coração, pâncreas, rins, próstata, fígado, músculos, cabelo, pele, sistema nervoso;
  • Aumenta a absorção de vitaminas e sais minerais, principalmente a vitamina B12;
  • Combate Distúrbios nervosos como ansiedade, insônia, síndrome de fadiga crônica;
  • Ajuda na dieta para perda de peso atuando como um enzimático poderoso, aumenta consideravelmente o anabolismo, ou seja, a absorção de nutrientes equilibrando o organismo. Promove saciedade. Porém, não se recomenda consumir kefir em jejum.
Propriedades do Kefir
Propriedades do Kefir

Como fazer Kefir de leite

Ingredientes e Utensílios

1 a 2 colheres de grãos do kefir.
vasilhame não metálico com tampa e capacidade para conter o leite e ainda sobrar espaço (cerca de 1/4);
Um recipiente não metálico com a boca larga para coar e armazenar o kefir
1 a 2 copos de leite fresco (pode ser integral, desnatado, semi-desnatado, pausterizado, homogeneizado ou recém tirado da vaca ou cabra)
Modo de Preparar Coloque os grãos de kefir e o leite no vasilhame não metálico (certifique-se de não encher mais de 3/4 do vaselhame);
Tampe o vasilhame (pode ser tampa frouxa ou hermética) e deixe-o à temperatura ambiente por aproximadamente 24 horas ou até que o leite coalhe ou forme-se soro (kefiraride) ao seu gosto (determine um local para deixar seu kefir, por exemplo, um armário onde não bata luz solar direta e se for possível, de vez em quando, pode ser uma vez a cada duas horas ou mais, dê uma chacoalhada no vasilhame, para certificar-se de que os grãos estarão sempre em contato com leite fresco);
Despeje o conteúdo numa peneira não metálica e coe o kefir em um recipiente também não metálico. O que você coou é kefir pronto para o consumo, embora você possa preferir fazer uma fermentação secundária;
Lave o vasilhame onde os grãos estavam fermentando e repita o processo, adicionando mais leite fresco aos grãos (cuidado – se você utiliza água quente na lavagem do vasilhame, espere-o esfriar antes de depositar os grãos nele).

Preparo do Kefir de Água

Como Fazer e Preparar o Kefir

Preparo do Kefir de Água
A receita para fazer o kefir de água pode variar muito, embora seja geralmente fermentada com uma solução de açúcar mascavo (3 a 10%) com água e limão (meio limão, algumas fatias finas ou suco). Também é comum acrescentar frutas secas, como, por exemplo, figos, ameixas, passas ou damascos ou suco de gengibre. O que mostra o quanto é versátil o preparo do kefir de água.

Os grãos de kefir de água são diferentes dos grãos de kefir de leite, como mostra a foto ao lado, mas também é possível adaptar os grãos de um meio para o outro.

Ingredientes e Utensílios
frasco de vidro ou plástico de 2 litros
peneira não metálica
3 a 4 colheres (sopa) de grãos de kefir de água
3 a 4 colheres (sopa) de açúcar mascavo
1 litro de água fresca, sem cloro

Ingredientes opcionais:
1 colher (sopa) de alcaravias inteiras, anis, erva-doce ou folhas de hortelã frescas
1 ou 2 figos ou ameixas secas ou duas colheres (sopa) de uvas passas ou qualquer outra combinação de frutas secas
1/2 limão cortado em fatias finas

Modo de preparar
Misture todos os ingredientes no vidro e acrescente os grãos
Feche o frasco hermeticamente e deixe o conteúdo fermentar à temperatura ambiente por até 48 horas
Coe a bebida e pode retornar os grãos à uma nova solução, para preparar o próximo lote.

Como Fazer e Preparar o Kefir de Agua
Como Fazer e Preparar o Kefir

Benefícios Indicações e dosagens

1) Recebi os grãos de kefir e agora o que fazer? Quanto tomar inicialmente?
Se recebeu seus grãos em mãos, geralmente é uma colher de sopa de grãos, coloque-os em 1 copo (200 a 250 ml) de leite, tampe-o e deixe fermentar em temperatura ambiente por 24 h. Após esse período pode coar e tomar o kefir que deverá estar completamente coagulado.
Se recebeu seus grãos pelos correios precisa dar um tempo para que todas as bactérias e fermentos voltem a trabalhar, de uns 3 a 4 dias. Neste período o leite pode talhar e ter cheiro de azedo ,então, coe a cada 24 h e descarte o líquido, fazendo nova troca. Quando os grãos coagularem o leite e este tiver cheiro similar a iogurte, pode tomar, está pronto o kefir. Se recebeu grãos de água, eles reativam em menor tempo, possivelmente no dia seguinte já possa coar e tomar o kefir, mas como prevenção é prudente descartar o líquido de dois dias. É aconselhável, inicialmente, começar a tomar pequena quantidade (100 ml) para acostumar o organismo e ir aumentando aos poucos, com isso evitará reações “bruscas”.

2) Posso fazer kefir com água de coco verde e com a sua polpa?
Sim, veja como em Making Coconut Water kefir (Fazendo o kefir com água de coco verde) e Making Coconut Kefir cheese (Fazendo o queijo do kefir de coco verde). Este site, em inglês, explica como usar a polpa de coco batida para fazer o queijo de kefir de coco com starter de kefir (falso kefir acionador de partida em pó). Substitua o starter por grãos Reais de Kefir). você irá adicionar seus grãos e após 24 h irá coar e retirá-los. A gordura de coco é muito boa no tratamento da Candidíase.

3) Quem tem lupus pode tomar kefir?
Sim e traz muitos benefícios, melhorando o intestino, que fica mais preguiçoso por causa da medicação. Saiba mais sobre o lupus.

4) Como reduzir o índice alcoólico do kefir de água?
Observe a proporção entre grãos, açúcar mascavo e água. Veja em Kefir de Água.
O índice alcoólico está entre 0, 08 a 2% de ácool, numa fermentação de 24 h temos índices médios de 0, 5% usando pote com tampa frouxa (ou pano fino com elástico para fixá-lo) e 1, 0% para pote com tampa hermética). Agitar o pote durante a fermentação também aumenta o índice alcoólico.

5) Como fazer sabonetes naturais e loção usando kefir?
Importante:
Para fazer sabonetes com base glicerinada ou perolada e o kefir (em grãos) não perder as propriedades: após derreter a base em banho-maria, deixe esfriar até 30/35°C, use um termômetro para se certificar (se não tiver use o dedômetro). Depois acrescente os grãos e, em seguida, coloque em moldes e deixe esfriar. O uso de corante e essência é opcional.
Para sabonete líquido: em 1 litro (onde é usado 250 ml de base para sabonete), substitua 200 ml da água por kefiraride. Será necessário acrescentar lauril éter sulfato de sódio (qsp_quantidade suficiente para) , pois a acidez do kefiraride diminui a quantidade de espuma. Coloque a base num recipiente de vidro e adicione a água lentamente para hidratar, depois coloque o kefiraride aos poucos e por último o lauril. O uso de corante e essência é opcional.
Para fazer loção para o corpo: use 1 colher de sopa de creme não-iônico (comprado em farmácias de manipulação) e 2 colheres de sopa de kefiraride. Misture muito bem para deixar homogêneo e aplique. Não precisa enxaguar. O que sobrar guarde em pote fechado na parte baixa da geladeira (pode deixar por uma semana). Terá um excelente hidratante natural.

6) O kefir pode agir sobre a Cândida Albicans?
Há um vínculo biológico equilibrado entre o nosso organismo e os microorganismos (cândida albicans) nele existentes e quando cai nossa imunidade abre-se a porta para que os microorganismos (cândida albicans) se desenvolvam em maior quantidade causando desiquilíbrio e a doença (cândidíase). Podemos dizer que “quase” todos nós temos em nosso organismo a cândida, que só vai se manifestar quando estivermos com nossa imunidade baixa.
O kefir em sua composição possue entre outras a levedura Candida Kefir, levedura do bem que junto as demais vai restabelecer o equilíbrio do organismo.
Segundo a Drª. Orla Jenson (bacteriologista dinamarquesa) “O Kefir digere as células de leveduras e tem efeito benéfico na flora intestinal” de onde pode ser usado na prevenção e combate a cândida”. Veja mais informações sobre: Controle da Cândida Albicans: kefiraride e Composição da microflora do grão de kefir em: Ciclo e Microflora

7) O kefir engorda?
Não, sendo inclusive indicado para regular o peso, pois provoca uma aceleração no metabolismo. Dê uma olhada em Benefícios. Porém, o açúcar mascavo assim como qualquer outro tipo de açúcar mascavo pode sim pesar em sua dieta hipocalórica. Para saber das vantagens e desvantagens você deve analisar o custo beneficio para o seu caso, se no momento o que mais atrapalha a sua saúde é o peso, então você deve considerar outro tipo de preparação do kefir, como por exemplo com suco de frutas, pois mesmo após a ação do kefir (metabolizando a lactose do leite e a glicose do açúcar mascavo) , o açúcar mascavo e o leite ainda contêm calorias (poucas, mas contém). Se no seu atual momento a sua maior preocupação é a saúde, ou algum problema associado a ela, talvez valha a pena o consumo extra de calorias. Procure equilibrar sua dieta da melhor forma possível e praticar atividades físicas regularmente – obviamente, sempre com acompanhamento médico.

8) Como posso auxiliar o kefir no processo de emagrecimento?

O emagrecimento vem como conseqüência de mudanças de hábitos, pois a partir do momento que você opta por um alimento probiótico você assume uma nova postura diante de sua alimentação e de sua vida. E o Kefir atuando como um enzimático potente aumenta o anabolismo fazendo o seu organismo assimilar mais nutrientes causando um equilíbrio geral, desintoxicando-o, então o que você precisa fazer é auxiliá-lo neste processo:
§ Tomando a 1ª porção em jejum,
1º) As outras 1 hora antes das refeições, o que provocará sensação de saciedade reduzindo o apetite na hora das refeições evitando o comer por compulsão,
2º) Substituir os lanchinhos calóricos pelo kefir de frutas ou kefir de leite desnatado com frutas ou granola light,
3º) Fazer 5 pequenas refeições:comendo carnes brancas, verduras, legumes, cereais, fibras, tomar 2 litros de água diários, não esquecendo dos exercícios físicos_pelo menos uma boa caminhada.
4º) Falar com seu médico para uma avaliação.
Adotando essas medidas você poderá dizer que emagrecer com Kefir é uma Verdade. Lembrando que é desaconselhável jejuar tomando o kefir, é recomendado no dia que quiser jejuar dar uma pausa no consumo.
Veja mais informações em: Benefícios Excesso de peso : Pergunta 46

9) Quem tem intolerância à lactose pode consumir kefir de leite?
Seria uma imprudência afirmar que o kefir consome toda lactose do leite. Claro que quanto mais tempo fermentando, mais ácido se torna o Kefir e menos Lactose terá também. Nesses casos, recomenda-se 36 horas de fermentação e também, a retirada do Kefiraride.
No princípio (uma semana) tome apenas uma xícara de café de Kefir por dia… Caso não venha a ter problemas pode ir dobrando a quantidade até o ponto que deseje tomar. Não tenha pressa e nem force seu organismo. Lembre-se que, em apenas uma xícara de café há microorganismos e kefiran suficiente para melhorar de uma forma geral sua qualidade de vida.

10) Qual a diferença de benefícios entre as diferentes formas de kefir (água, leite, mais fermentado, menos fermentado)?
Basicamente, há apenas diferenças sutis, mas cada tipo pode ter mais utilidade e eficácia dependendo do histórico individual de cada um. É interessante dar uma olhada na página Benefícios para conhecer melhor essas características.

11) Com que idade uma criança pode começar a tomar o kefir?E em que quantidade?
Ela pode começar a tomar o kefir a partir do momento que o pediatra introduzir alimentação pastosa, começando com 1 colher de sopa (15 g) e vai aumentando aos poucos. Pode ver receita em: Receitas doces

12) Em quanto tempo obtenho resultados para problemas de intestino?E que quantidades tomar?
Cada organismo reage de forma diferente, enquanto algumas pessoas começam a sentir melhoras entre 10 e 15 dias de uso contínuo tomando 1 litro de kefir (água ou leite) diário, algumas demoram até 1 mês. O importante é ajudar o kefir cuidando da alimentação (que deve ser rica em fibras, frutas, vegetais, legumes…) e adicionando no seu kefir 1 colher de sopa de semente de linhaça triturada ou ameixas pretas batidas para potencializá-lo. Lembrando que é imprescindível para auxiliá-lo no processo de desintoxicação do organismo, beber muita água.

13) Em quanto tempo obtenho resultado usando kefir para problemas de acne e manchas no rosto?
Resultados significativos são obtidos a partir de 3 meses para acne e de 6 meses para clareamento de manchas, mas além de tomar o kefir (1 litro diário) , tem que haver um controle na alimentação (evitando chocolates, amendoins… etc) , e para potencializar o kefir , pode fazer compressas com kefiraride: protegendo os olhos com algodão, aplicar no rosto limpo, gaze umedecida em kefiraride, deixar por 20 a 30 minutos. De preferência pode fazer a aplicação a noite.
O Kefiraride é um adstringente natural que ajuda a desinfeccionar e fechar os poros.

14) Posso fazer gel para cabelos e pele com o kefir?
Sim, veja a receita: 1 xícara de chá de grãos de kefir de água
1 xícara de kefiraride ou 1xicara de água mineral (para quem não tem Kefir de leite)
Bater no liquidificador por uns 5 minutos mais ou menos, até ficar um gel.
Cabelos
Lave os cabelos com shampoo e enxágüe, tire o excesso de água com uma toalha e aplique o gel na raiz, faça massagem com a ponta dos dedos e coloque uma touca plástica, não usar touca térmica.
Deixe o gel agir por uma hora, enxágüe bem.
Rosto
Aplicar uma camada não muito fina na pele e fazer massagem circular.
Deixe agir por uma hora, até secar completamente e enxágüe bem.

15) Qual os benefícios do kefir na gravidez?
O kefir de leite é rico em ácido fólico, veja mais em: Benefícios, sendo muito importante na gravidez.
O ácido fólico é uma vitamina do complexo B cuja ingestão deve começar desde o planejamento da gravidez, pois garante saúde para a mãe e o desenvolvimento do bebê, já que é responsável pela síntese dos ácidos nucléicos (substâncias que produzem proteínas, tecidos e também o código genético, como o DNA, por exemplo).
A simples suplementação do ácido fólico três meses antes e nos três primeiros meses da gravidez são suficientes para reduzir até 95% de problemas da má formação do tubo neural. O tubo neural funciona como o sistema nervoso primitivo do feto. É uma estrutura do embrião precursora do cérebro e da medula espinhal. O fechamento deste tubo é essencial para formar a calota craniana e coluna vertebral do bebê. Isso ocorre entre 22º e 28º dias após a concepção.
Fonte:” A importância do ácido fólico”_Andresa Berger, Redação Terra

16) Quais os resultados do kefir sobre o Colesterol?E em que quantidades tomar?
O probiótico Kefir por produzir ácido láctico, pode absorver o colesterol ruim (LDL) e impedir sua reabsorção pela corrente sanguínea.
É recomendado para se obter resultado tomar 1 litro diário, porém há controvérsias, como exemplo temos informação de resultados obtidos após 6 meses de uso para pessoas que tomaram 1 litro diário e para uma outra que tomou apenas 1 copo, ambos com queda na taxa do colesterol ruim (LDL) , então é prudente usar o bom senso e recomendamos sempre a consulta e acompanhamento de seu médico. Veja mais em: Benefícios.

17) O Kefir pode ser usado como tratamento para o herpes labial?
Sim, pode. Veja mais em: Benefícios.
O Herpes é uma infecção que se manifesta devido a diversos fatores, tais como: exposição à luz solar intensa, fadiga física e mental, estresse emocional, febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica.
O kefir aumenta a imunidade do organismo e pode sim ajudar o tratamento do Herpes. Veja mais detalhes sobre o Herpes em: http://www. dermatologia. net/Doencas/herpeslabial. htm e não esqueça consulte sempre o seu médico, nada o substitui.

18) Posso consumir os grãos de kefir?
Sim, pode. Veja mais em: Benefícios.
Você pode consumi-los puros ou misturados a saladas, bebidas em geral, doces, gelatinas. Experimente!
Porém, lembre-se de sempre deixar um pouco de grãos para doações e também como reserva, caso aconteça algum acidente que destrua o seu lote de fermentação.